Quinta-feira | 16 de Setembro de 2021 18:15
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Opinião

Um novo marco na segurança dos brasileiros

Marcado para começar efetivamente no mês de agosto, com as aplicações das sanções, a Lei Geral de Proteção de Dados já é uma realidade e um marco histórico para a segurança de milhões de brasileiros

Marcado para começar efetivamente no mês de agosto, com as aplicações das sanções, a Lei Geral de Proteção de Dados já é uma realidade e um marco histórico para a segurança de milhões de brasileiros – que a cada passo precisam passar seu CPF ou entregar suas informações pessoais, nem que seja para uma simples compra.

Saber que existe um grande aparato que responsabiliza empresas pela segurança dos dados confidencializados a elas irá nos deixar pelo menos mais tranquilos. Até porque, existem aplicações de multas milionárias para situações de vazamentos de dados em determinadas situações, além de colocarem a reputação da marca em jogo. Então, além do cumprimento da Lei, há preocupação com a fidelização dos clientes, questões financeiras e toda a história da empresa em jogo.

Por duas semanas, a Folha de Campo Largo trouxe uma especialista para tratar do lado jurídico da LGPD, explicando de uma maneira mais abrangente a lei para pessoa física e também jurídica. O fato é que, por ser algo relativamente novo, há muito ainda a ser explorado, muitas óticas sobre o mesmo assunto que podem ser tratadas e evidenciadas via conteúdo. O que não pode acabar é a curiosidade do leitor em buscar informações sobre algo que o governo criou de maneira efetiva para beneficiá-lo e protegê-lo. Se reclamamos tanto das governanças em nosso país, precisamos reconhecer também passos certos a serem tomados, tal qual esta lei.

Isso mostra também uma tendência de acompanhar os modos de viver da sociedade brasileira, que cada vez consome mais conteúdo digital e precisa ser protegida de pessoas mal intencionadas, capazes de usarem informações pessoais e comportamentos dentro deste meio de maneira ilegal. Se você tem acesso à internet, que o seu primeiro passo nela seja para acesso à informação sobre o que te deixa vulnerável e como fazer destes pontos fortalezas para sua proteção.

Que todos nós, na figura de cidadãos, tenhamos mais interesse por leituras e conhecimentos dos nossos direitos e saibamos cobrar e questionar situações que possam nos deixar desconfortáveis em certos momentos, como preenchimentos exaustivos de dados ou pedidos para registros de cookies. Existem momentos essenciais para que eles sejam realmente entregues a um estabelecimento, mas isso nem sempre acontece. Conforme orientação da própria profissional, busque saber qual a finalidade e tempo de armazenamento dessas informações. Lembre-se que seu nome, seu documento e sua personalidade são únicos, não permita ser usado por mais ninguém.