Domingo às 03 de Julho de 2022 às 09:42:31
EM CAMPO LARGO 12º | 26º
Saúde

Nódulo na tireoide pode aparecer em até 60% da população brasileira

Estima-se que cerca de 60% da população brasileira terá um nódulo na tireoide em algum momento da vida, conforme explica o endocrinologista Dr. André Ricardo Fuck.

Nódulo na tireoide pode aparecer  em até 60% da população brasileira

Estima-se que cerca de 60% da população brasileira terá um nódulo na tireoide em algum momento da vida, conforme explica o endocrinologista Dr. André Ricardo Fuck. A maioria deles é encontrada incidentalmente em exames de rotina, como o próprio ultrassom de tireoide ou outros exames de imagem da região do pescoço. Quando maiores de 1cm, geralmente são palpáveis pelo paciente ou pelo médico.

Apesar dessa prevalência alta, ele detalha que a chance de um nódulo na tireoide ser maligno é baixa, cerca de 5% dos casos. A grande maioria são lesões benignas que, de um modo geral, não causam problemas ou sintomas ao paciente. Apresentam maior prevalência em mulheres - cerca de três vezes mais, pessoas acima de 40 anos ou com história familiar de nódulos na tireoide.

“A maioria dos nódulos não vai precisar de qualquer tratamento, bastando apenas a observação clínica com ultrassom anual até a certeza de que não há crescimento do mesmo. Quando necessitar de tratamento, a conduta será definida de acordo com o tipo de nódulo (maligno ou benigno), se produz ou não hormônios em excesso e se provoca algum sintoma local como dor ou compressão. Dentre as modalidades de tratamento, temos medicações, terapia com iodo radioativo ou cirurgia”, esclarece.

Sintomas
Em alguns casos, esses nódulos podem causar alguns sintomas ou trazer algum tipo de consequência ao paciente. Como exemplos, o especialista cita:

- Dor local ou desconforto: geralmente relacionado a nódulos de aparecimento recente e crescimento rápido;
- Hipertireoidismo (excesso da produção de hormônios tireoideanos por nódulos autônomos) pode causar taquicardia, palpitação, insônia, perda de peso, sudorese, diarreia, entre outros;
- Problemas estéticos: nódulos grandes costumam ser aparentes a olho nu e incomodam o paciente;
- Dificuldade para respirar ou engolir: nesses casos, geralmente os sintomas são causados por nódulos grandes ou múltiplos, com crescimento importante da tireoide para a região interna do pescoço.

Exames e tratamentos
Dr. André orienta que alguns exames de avaliação dos nódulos que podem ser úteis são o ultrassom, a tomografia, a cintilografia e a punção com agulha para biopsia, além de exames de sangue que avaliam a função tireoideana (dosagens hormonais).

Quando existe suspeita de câncer, o exame que mais auxilia o diagnóstico é a punção do nódulo guiada por ultrassom. O câncer de tireoide é responsável por cerca de 1% de todos os tumores malignos do corpo e tem um comportamento, em sua maioria, mais brando que outras lesões malignas. Mesmo assim, seu tratamento deve ser cirúrgico, podendo ser complementado com iodoterapia, radioterapia ou até mesmo, quimioterapia. “Grande parte desses tumores pode ser curado com o tratamento, especialmente quando detectados em fases mais precoces. Para isso, o endocrinologista é o médico mais adequado para uma boa avaliação clínica e melhor definição da conduta”, conclui.