Terça-feira às 28 de Maio de 2024 às 11:58:48
Opinião

Lembre-se de celebrar a força e resiliência da sua mãe neste domingo

Neste domingo (12) é celebrado o Dia das Mães, uma data que vai muito além do presente e do almoço tradicional

Lembre-se de celebrar a força e resiliência da sua mãe neste domingo

Neste domingo (12) é celebrado o Dia das Mães, uma data que vai muito além do presente e do almoço tradicional, mas tem a intenção de celebrar o amor e a dedicação daquela que gerou, deu a luz e criou com amor e zelo seus filhos. É momento também de reconhecer a força e a resiliência dela, que enfrenta desafios diários e complexos, principalmente em um mundo que exige com que as mulheres conciliem trabalho, família, estudos, cuidado com a saúde e maternidade – coisas que exigem muito da energia delas.

Mães que pertencem a famílias tradicionais, mães solos, mães que deram a luz aos seus filhos por meio da adoção – e do coração -, mães com diferentes orientações sexuais, mães que na verdade são avós, tias, madrinhas. Mães e ponto. Cada uma enfrenta seus próprios desafios, criando sua jornada na maternidade, sempre preocupadas em oferecer o melhor para seus filhos e dando o seu melhor sempre, ainda que essa atitude exija sacrifícios.

Por isso, um dos maiores desafios da maternidade é o equilíbrio da vida pessoal com todos os outros papéis que as mulheres desempenham. É muito desafiador se destacar no mercado de trabalho, com árduas jornadas, necessidade de enfrentar desafios como sair cedo e voltar tarde, enfrentar longo caminho entre casa e trabalho, estudar quando é possível, cuidar da administração do lar, das tarefas da escola, muitas vezes ajudar outros familiares. Por isso, as mulheres acabam precisando ser fortes e resilientes – e não estamos escrevendo isso de maneira romantizada.

Ao mesmo tempo que, praticamente, exige que a mãe desempenhe todos estes papéis, vem a cobrança de uma maternidade “perfeita”, que não existe, pois todos somos sujeitos a errar. Com fotografias idealizadas de uma vida familiar perfeita, mães sentem uma pressão ainda maior, sentindo que podem ser “inadequadas”, “insuficientes”, “erradas”, entre outros sentimentos que podem passar pela cabeça dela.

Cada mãe é única, não há um modelo ideal de maternidade. Cada um sabe da sua realidade e, como diz o ditado, onde seu calo aperta. O foco enquanto “mãe”, na maternidade em si, é justamente oferecer a melhor versão. Muitas vezes aquele momento na cozinha de casa, preparando um prato especial, que só você – mãe, sabe como fazer é a memória afetiva mais preciosa na mente dos seus filhos. Muito mais do que as grandes festas de aniversário, ou as viagens para novos lugares. É comum, quando uma pessoa perdeu sua mãe, dizer “que saudades de tal prato que a minha mãe fazia” ou “faria tudo para abraçá-la e ouvir sua voz novamente”. Não há nada mais precioso do que estes pequenos momentos.

Por isso, neste domingo especial celebre a sua mãe, reconheça os desafios que ela enfrentou para encaminhar você para a vida e prepará-lo para isso. Celebre também a força daquelas que estão começando na jornada materna, que é eterna. Comemore e valorize esse gesto tão lindo, uma verdadeira missão que é o maternar. E principalmente, ofereça ajuda, seja parceiro, pois a saúde de modo geral das mães impacta também na construção de pessoas melhores.