Sexta-feira às 19 de Abril de 2024 às 11:50:19
EM CAMPO LARGO  | 21º
Saúde

Campo Largo passa a ser considerada infestada para a presença de Aedes aegypti e Saúde reforça a prevenção da dengue

A informação alarmante divulgada pela Vigilância em Saúde à Folha é que Campo Largo passou a ser considerada infestada para a presença do Aedes aegypt

Campo Largo passa a ser considerada infestada para a presença  de Aedes aegypti e Saúde reforça a prevenção da dengue

A informação alarmante divulgada pela Vigilância em Saúde à Folha é que Campo Largo passou a ser considerada infestada para a presença do Aedes aegypti, o transmissor da dengue. Por isso, ações de prevenção à dengue devem ser intensificadas também pelos munícipes.

“Não temos como identificar se os mosquitos Aedes estão contaminados ou não. O município passou a ser considerado infestado para a presença do Aedes Aegypti. Existem pontos onde são encontrados um maior número de criadouros e como esse mosquito pode acompanhar os motoristas dentro dos carros e caminhões, as localidades próximas à rodovia merecem maior atenção”, diz a diretora da Vigilância em Saúde do município, Viviane Janz Moretti.

A diretora enfatizou ainda que não só Campo Largo, como todos os municípios intensificaram as campanhas educativas para conscientização da população e do seu papel fundamental na prevenção da doença. “O ano epidemiológico da doença vai de agosto a julho do ano seguinte. Nesse ano epidemiológico, até o momento, tivemos um caso autóctone (contaminação no município) e outros dez casos importados. Todos se recuperaram bem”, explica.

Enfatiza que comparado aos anos anteriores, houve sim um aumento significativo no número de notificações e casos positivos para a dengue, mas dentro do esperado pela Saúde de Campo Largo. “Com a realização das ações educativas, vistorias e campanhas de remoção dos inservíveis, pretendemos manter os números dentro do esperado”, reforça.

Reforça que os bons resultados também dependem dos esforços da população para evitar que a doença se espalhe. “Cada um é responsável pela sua residência e por contribuir com os cuidados onde trabalha. Qualquer acúmulo de água, mesmo que seja numa simples tampinha de garrafa, pode se tornar um criadouro. Além disso devemos associar o uso de repelente e sempre seguir o recomendado nas embalagens quanto ao período de duração da sua eficácia. Juntos podemos fazer a diferença”, finaliza.

Faça a sua parte
A melhor forma de prevenção da dengue é evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti, eliminando água armazenada que pode se tornar possível criadouro, como em vasos de plantas, lagões de água, pneus, garrafas plásticas, piscinas sem uso e sem manutenção, e até mesmo em recipientes pequenos, como tampas de garrafas.

Roupas que minimizem a exposição da pele durante o dia - quando os mosquitos são mais ativos - proporcionam alguma proteção às picadas e pode ser uma das medidas adotadas, principalmente durante surtos. Repelentes e inseticidas também podem ser usados, seguindo as instruções do rótulo. Mosquiteiros proporcionam boa proteção para aqueles que dormem durante o dia, como bebês, pessoas acamadas e trabalhadores noturnos.

Previna-se e tome as seguintes atitudes:
- Não deixe água parada. Destruindo os locais onde o mosquito nasce e se desenvolve evita sua procriação;
- Deixe sempre bem tampados e lave com bucha e sabão as paredes internas de caixas d’água, poços, cacimbas, tambores de água ou tonéis, cisternas, jarras e filtros;
- Não deixe acumular água em pratos de vasos de plantas e xaxins. Coloque areia fina até a borda do pratinho;
- Plantas que possam acumular água devem ser tratadas com água sanitária na proporção de uma colher de sopa para um litro de água, regando no mínimo, duas vezes por semana. Tire sempre a água acumulada nas folhas;
- Não junte vasilhas e utensílios que possam acumular água (tampinha de garrafa, casca de ovo, latinha, saquinho plástico de cigarro, embalagem plástica e de vidro, copo descartável etc.) e guarde garrafas vazias de cabeça para baixo.
- Entregue pneus velhos ao serviço de limpeza urbana, caso precise mantê-los, guarde em local coberto.
- Deixe a tampa do vaso sanitário sempre fechado. Em banheiros pouco usados, dê descarga pelo menos uma vez por semana.
- Retire sempre a água acumulada da bandeja externa da geladeira e lave com água e sabão.
- Sempre que for trocar o garrafão de água mineral, lave bem o suporte no qual a água fica acumulada.
- Mantenha sempre limpo: lagos, cascatas e espelhos d’água decorativos. Crie peixes nesses locais, eles se alimentam das larvas dos mosquitos.
- Lave e troque a água dos bebedouros de aves e animais no mínimo uma vez por semana.
- Limpe frequentemente as calhas e a laje das casas, coloque areia nos cacos de vidro no muro que possam acumular água.
- Mantenha a água da piscina sempre tratada com cloro e limpe-a uma vez por semana. Se não for usá-la, evite cobrir com lonas ou plásticos.
- Mantenha o quintal limpo, recolhendo o lixo e detritos em volta das casas, limpando os latões e mantendo as lixeiras tampadas. Não jogue lixo em terrenos baldios, construções e praças. Chame a limpeza urbana quando necessário.
- Permita sempre o acesso do agente de controle de zoonoses em sua residência ou estabelecimento comercial.