Terça-feira às 09 de Agosto de 2022 às 07:36:45
EM CAMPO LARGO 12º | 15º
Geral

Pastor Clemerson da Silva completa dois anos à frente da Igreja Assembleia de Deus em Campo Largo

Com a orientação divina, o Pastor Clemerson, sua esposa Janine e filhas Ana Clara e Maria luiza, e demais pastores auxiliares seguem levando a Palavra de Deus às famílias campo-larguenses

Pastor Clemerson da Silva completa dois anos à frente da Igreja Assembleia de Deus em Campo Largo

Ser pastor vai muito além de apenas administrar uma igreja ou ministrar cultos. O pastor, no sentido teológico, é o guia espiritual de famílias e comunidades inteiras, uma tarefa desafiadora, mas que é feita sempre com a direção divina, muito apoio, estudo e orações. Assim, o Pastor Clemerson da Silva, presidente do campo eclesiástico da Igreja Assembleia de Deus de Campo Largo - PR, tem conduzido o trabalho há dois anos.

A seara é grande e a Assembleia de Deus tem trabalhado para ampliar ainda mais a propagação do evangelho em Campo Largo. Atualmente são 36 igrejas (templos) – quando assumiu eram 32 – e aproximadamente três mil membros e congregados pertencentes à campo eclesiástico de Campo Largo. “O trabalho que desempenhamos é acolher desde as crianças pequenas até os idosos, tendo um bom diálogo com todos os públicos que chegam até nós, fazendo com que essas pessoas se sintam parte desta comunidade. Desde que eu cheguei em Campo Largo, após um acontecimento extremamente triste, que foi o falecimento do saudoso pastor Manoel Caetano da Costa e sua esposa Joana Costa da Silva, que estiveram à frente por 36 anos. Ainda assim, mesmo em um momento de dor, minha família e eu fomos muito bem recepcionados e acolhidos pela nossa Igreja.”

Sobre o pastor Manoel, o pastor Clemerson lembra que ele era uma referência, moral e espiritual não somente em Campo Largo, mas em todo o Estado do Paraná, e inclusive, teve a oportunidade de ter contato direto com ele por meio do Conselho de Ética Ministerial, junto à CIEADEP - Convenção das Igrejas Assembleias de Deus do Estado do Paraná, cuja sede é em Campo Largo, inclusive, no qual o pastor Clemerson é relator e o pastor Manoel Caetano era o vice presidente do referido conselho. “Ele deixou um legado, uma história que não se apagará jamais, foi uma perda irreparável. Eu fui conduzido pela Convenção (CIEADEP), por meio da direção de Deus e também das orações dos nossos pastores, para assumir a Igreja em Campo Largo. Desde o início eu encarei como um grande desafio, mas com o abraço da igreja, estamos unidos e seguindo, trilhando este caminho, levando o evangelho do Reino aos campo-larguenses”, reforça.

Pastor Clemerson comenta que a boa recepção dos campo-larguenses fez com que ele se sentisse em casa e isso se potencializa nas ações sociais que a igreja realiza em prol da comunidade. “Hoje distribuímos cerca de 140 cestas básicas por mês na cidade, para famílias carentes. Há Campanhas de Agasalho, Páscoa, Natal Solidário, entre outras. Temos projetos futuros para atender pessoas que vem para Campo Largo em busca de tratamento médico e não têm onde ficar. Temos membros que já acolheram pessoas em suas casas, mas o nosso projeto é abrir uma casa de acolhimento a essas famílias e no futuro construir um prédio para que elas possam ter um local mais privativo e digno neste momento difícil”, revela.

O pastor Clemerson
Nascido em Curitiba, cidade vizinha a Campo Largo, o pastor Clemerson teve seu início ao santo ministério na cidade de Ponta Grossa, aonde chegou a atuar em duas igrejas naquela cidade. “Minha primeira igreja foi em Tânia Mara, na cidade de Ponta Grossa – PR, era bem pequena e fiquei por seis anos como pastor responsável. Dali fui enviado para outro bairro, uma congregação maior, com aproximadamente 500 pessoas, e que era a sede de um setor, como nós chamamos. Eu era o pastor de uma regional, com 14 congregações. Então fui convidado para assumir a presidência de um campo eclesiástico na cidade de Campo Magro - PR, onde fiquei por 1 ano e sete meses”, relembra.

Após o falecimento do pastor Manoel, o pastor Clemerson foi convidado pela Convenção para dar continuidade ao ministério em Campo Largo e no dia 06 de agosto de 2020 assumiu a presidência do campo eclesiástico nessa cidade. “É uma caminhada dentro da Igreja. Eu sou advogado, era professor universitário e estudava para ser juiz do Trabalho, mas o chamado de Deus foi muito mais forte. Cheguei a atuar como advogado e pastor, porém, o trabalho exercido aqui, como pastor e presidente deste campo eclesiástico exigiu minha dedicação e meu amor pela obra de maneira integral e eu me tornei pastor em 100% do meu tempo. É algo que eu realmente amo, que exige muito estudo, orações e entendimento, mas ao mesmo tempo é muito gratificante, ao ver o trabalho de Deus e do Espírito Santo na vida das pessoas de maneira mais próxima”, completa.

Bastante envolvido também com projetos sociais, ele dirigiu por alguns anos a Associação Pontagrossense dos Portadores de Deformidades Faciais (APPDF), Ong que auxilia famílias de crianças que nasceram com lábio leporino em consultas e procedimentos cirúrgicos.

Jesus diz que as ovelhas reconhecem a voz do seu pastor, que está sempre à frente, mostrando o caminho a ser seguido. “Pretendo ficar em Campo Largo até quando Deus me permitir. Passei a amar a cidade, mas entendo que tudo deve ser seguido conforme a vontade do Senhor”, completa.

Desafios da pandemia
O pastor relembra que chegou à Campo Largo, em agosto de 2020, no auge da pandemia, momento em que os cultos ainda estavam restritos, mas que nunca deixou de atender aos membros e à população que os procurava. “Nós atendemos inúmeras famílias neste momento delicado que passamos, que foi o auge da pandemia. Várias pessoas perderam seus empregos, atravessaram dificuldades financeiras e nós tratamos de distribuir alimentos e dando o suporte espiritual tão necessário neste momento, que foi orando com elas e por elas, abrindo a Palavra do Senhor, especialmente em um momento de tantas perdas. Isso, nós continuamos fazendo assiduamente, pois é essencial”, relembra.

Como é a organização da Assembleia de Deus
Uma das igrejas mais conhecidas do Brasil, a Igreja Assembleia de Deus, que é pentecostal, tem uma maneira própria de ser organizada. O pastor Clemerson explica que até 2006, Curitiba e Região Metropolitana formavam um conglomerado de igrejas, o que é chamado pela Igreja Assembleia de Deus de Campo Eclesiástico, que é administrado por um único pastor – presidente de todas as igrejas. Acima de deste pastor está a Convenção de Igrejas da Assembleia de Deus do Estado do Paraná, ou Cieadep, que atualmente está fixada em Campo Largo.

A partir de 2006, as cidades foram organizadas em campos eclesiásticos, tendo plena autonomia para a condução dos trabalhos, organiadando as igrejas das cidades em setores ou regionais. É a Convenção, como o pastor comenta, em constante oração, que designa os pastores que irão assumir os campos eclesiásticos e as igrejas.

A formação dos pastores na Assembleia de Deus é feita por meio de reconhecimento da vocação ao santo ministério, bem como da dedicação ao estudo da Teologia e há uma carreira de ordenação ministerial a ser construída. Inicia como cooperador, passa para diácono, presbítero, evangelista e então pastor, inicialmente como auxiliar, podendo alcançar a presidência de um campo eclesiástico de acordo com a vontade de Deus.