Terça-feira às 09 de Agosto de 2022 às 07:57:52
EM CAMPO LARGO 12º | 15º
Opinião

A força dos pequenos empresários tem transformado as cidades

A força dos pequenos empresários tem sido sentida e recebida com muita alegria por toda a comunidade campo-larguense.

A força dos pequenos empresários tem transformado as cidades

A força dos pequenos empresários tem sido sentida e recebida com muita alegria por toda a comunidade campo-larguense. Cada dia mais, principalmente com o avanço das redes sociais, mostra-se o profissionalismo, a busca pelo conhecimento e pelo crescimento, não somente pela parte financeira, mas para levar o melhor do seu setor ao cliente e beneficiar toda a comunidade, com mais geração de empregos e circulação da economia, inclusive na região, visto as parcerias que são feitas entre empresas.

Ao longo destes últimos dias, os campo-larguenses que empreendem puderam participar da 5ª Semana Empresarial da Acicla, que ofertou muito conhecimento, mostrou tendências, apresentou cases e levou motivação, tão necessária para este tempo de levante. Centenas de pessoas estiveram presentes nos dias de palestras e rodas de conversa, e o resultado positivo já se mostra, principalmente pela intenção de fazer diferente e colocar projetos que estavam “engavetados” de volta à mesa, para torná-los reais.

A representatividade a nível Brasil das micro e pequenas empresas são notáveis. Segundo o Sebrae, em dez anos o valor gerado pelas empresas de micro e pequeno porte saltaram de R$ 144 bilhões para R$ 599 bilhões. Avaliando o cenário atual, que ainda é considerado como recuperação. Um estudo feito pela Fundação Getúlio Vargas e o Sebrae mostrou que a proporção de empresas com queda no faturamento reduziu ao menor patamar desde o início da pandemia. Para metade dos empresários entrevistados, os maiores desafios estão no aumento dos custos dos insumos, como combustível, aluguel e energia elétrica.

A atenção também se volta para a política, sobre “quem irá conquistar esse eleitorado tão importante?”, tanto no contexto estadual, como federal. Atualmente, os pequenos empresários correspondem a 30% do PIB brasileiro e corresponde a 25,9 milhões de pessoas. Geram uma renda estimada de R$ 420 bilhões por ano, conforme o Atlas dos Pequenos Negócios, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em divulgação pela IstoÉ Dinheiro. Conforme reportagem, R$ 35 bilhões por mês injetados na economia brasileira, sendo R$ 11 bilhões só de Microeempreendedores Individuais (MEIs). São de extrema relevância econômica para o país, mostra cada vez mais que não para de crescer e mostram que estão atentos, criam oportunidades e estão de olho nas opções políticas que se importam com a sua classe. É um ano decisivo de várias formas, tanto para o crescimento e recuperação, como para a abertura de novas frentes nos anos seguintes. Que continue a ousadia, o estudo e o fortalecimento destas empresas tão importantes.