Terça-feira às 24 de Maio de 2022 às 10:06:59
EM CAMPO LARGO 10º | 24º
Opinião

Comemoração mais que justa e merecida

Neste domingo, dia primeiro de maio, comemoramos o dia das pessoas que se dedicam diariamente a fazer o melhor pela sua vida e da vida das pessoas que ama.

Comemoração mais que justa e merecida

Neste domingo, dia primeiro de maio, comemoramos o dia das pessoas que se dedicam diariamente a fazer o melhor pela sua vida e da vida das pessoas que ama. Que levantam cedo, enfrentam trânsito, transporte público e a inflação, que acaba impactando no rendimento do suado dinheirinho. O trabalhador merece sim uma comemoração muito grande, por dedicar suas habilidades, empenho e ideias para conseguir levar adiante projetos das empresas.

Cada pessoa é importante para a sua empresa e para o cargo que ocupa. Por meio do seu trabalho é que a economia consegue girar e poderemos vencer tantos obstáculos diante deste momento de recuperação que vivemos na sociedade. Historicamente, existe a luta de classes, para garantir ao trabalhador, não somente brasileiro, mas em todo o mundo, direitos de segurança durante o desempenho das atividades, salubridade, salários justos e compatíveis com a função desempenhada, afastamentos e licenças, aposentadoria, entre outros. Todas essas lutas são de extrema importância para garantir uma vida além do trabalho e há sim ajustes a serem feitos. O trabalho análogo à escravidão e a própria escravidão ainda existem em nosso país. Ainda há diferença entre salários e mesmo direitos pelos quais lutar, inclusive por mais vagas de emprego, diminuindo o número de famílias que hoje passam necessidades e pessoas que precisam se empenhar em serviços sem nenhuma garantia - os famosos bicos.

É inegável que o Brasil enfrenta uma grande crise de desemprego, mas conforme divulgação do IBGE no mês de março deste ano, a taxa caiu para 11,2% de desempregados no índice que compreende os meses de novembro, dezembro e janeiro. São, atualmente, 12 milhões de desempregados no Brasil. Mesmo em Campo Largo, com os índices do Caged foram mais de 460 vagas criadas. Isso nos aponta para um crescimento e a demanda de contratação de pessoas. A intenção é que estes números sejam mais frequentes, visto os investimentos sendo realizados em várias áreas da indústria, abertura de novos estabelecimentos e oferta de serviços. É importante que a formalização aconteça e que ambos os lados trabalhem com honestidade e comprometimento, para que o avanço seja um ideal em comum.

Muitas vezes é vendida a ideia, principalmente da parte mais política e polarizada, de que um é mais importante que o outro. Há uma supervaloriação de determinada classe - empresarial ou trabalhadora - mas a verdade é que existe a necessidade de trabalharmos juntos, como a engrenagem de um relógio. Quando há briga, desavença ou qualquer outro tipo de atitude rispida ou desrespeitosa, de ambos os lados, não há possibilidade de desempenhar um bom trabalho, não há paz.

Incluindo todos os direitos do trabalhador, também temos aqui o direito de trabalhar em um local onde há equilíbrio, ainda que os momentos exijam uma tarefa imediata. Discordâncias são normais, pois todos somos seres humanos, assim como os erros, mas que até nas chamadas de atenção haja compreensão e respeito. Às vezes, olhando assim, parece ser até uma utopia, mas é perfeitamente possível conviver com empatia pelo outro, principalmente quando o que todos querem é o melhor por seu próprio futuro. Vamos valorizar todos os trabalhadores nesta data, independente da área ou hierarquia que ocupem. Que estejam todos afinados no propósito de criar uma sociedade melhor.