Sexta-feira às 19 de Abril de 2024 às 12:20:06
EM CAMPO LARGO  | 21º
Geral

Jovem campo-larguense representa o município na 12ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

Ano passado, foram realizadas as conferências municipais e estaduais, quando adolescentes e jovens discutiram e elaboraram propostas para o futuro.

 

Jovem campo-larguense representa o município na 12ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente

A estudante campo-larguense Yasmin Litawer Horvarth está representando nossa cidade e o Paraná na 12ª Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente, que acontece de 02 a 04 de abril, no Centro Internacional de Convenções do Brasil, em Brasília-DF.

A jovem de 16 anos, que participa do programa Agentes da Cidadania no Centro da Juventude Bom Jesus, foi indicada pelo projeto Guarda Mirim e eleita na 11ª Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, realizada em junho do ano passado em Foz do Iguaçu. Como ela, foram indicadas outras 12 crianças e adolescentes do Paraná.

A Conferência Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (CNDCA) acontece a cada 4 anos e é um espaço para debates sobre políticas públicas que garantam os direitos da criança e do adolescente no Brasil.

A 12ª CNDCA tem como tema: "A situação dos direitos humanos de crianças e adolescentes em tempos de pandemia pela Covid-19: violações e vulnerabilidades, ações necessárias para reparação e garantia de políticas de proteção integral, com respeito à diversidade”. Para identificar os desafios durante e após pandemia, como refletir sobre as dificuldades vivenciadas; políticas sociais; propostas de enfrentamento às consequências de violências; sobre o papel dos conselhos de direitos e sobre a necessidade de ampliar o orçamento em ações que promovem proteção, defesa e controle social dos direitos das crianças e adolescentes, são alguns dos assuntos a serem debatidos em Brasília.

Futuro - Yasmin tem 16 anos, estuda na Escola Estadual Darlei Adad, é moradora do distrito de Bateias e enxerga a conferência como uma oportunidade de aprendizado sobre políticas e direitos da juventude e também das diferentes vivências dos jovens de outros estados do Brasil. “Espero que a gente consiga ter dias produtivos. Tem pessoas de vários estados diferentes, como é uma conferência nacional. É um choque cultural, que faz bem para os jovens e para sociedade, porque amplia a representação dos jovens. Todos que estão aqui querem um futuro melhor e eu espero que essa conferência atinja esse objetivo, com o respeito que a juventude merece.”

Debates - Em 2023 aconteceram as conferências municipais e estaduais. Em Campo Largo, a IV Conferência Municipal da Juventude debateu sobre o presente e futuro dos adolescentes e jovens, com propostas para direito, cidadania, diversidade, comunicação, cultura, educação, profissionalização, saúde, sustentabilidade e segurança pública. Os jovens propuseram e debateram soluções municipais e também de âmbito nacional. Em seguida, aconteceu a XI Conferência Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, em Foz, com a ampliação das discussões e com a eleição de 39 representantes da sociedade civil organizada e governamentais e 13 crianças e adolescentes do Paraná para apresentar as 37 propostas de políticas públicas elaboradas na conferência nacional.