Sexta-feira | 30 de Julho de 2021 06:44
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Saúde

Beber menos água e ir ao banheiro poucas vezes favorecem o surgimento de infecções urinárias

Ao contrário do que muitos pensam, não são as temperaturas frias que favorecem casos de infecções, mas sim o comportamento do paciente que influencia, diz médico urologista  

A infecção urinária é uma doença que causa um grande incômodo, especialmente nas pacientes mulheres. Muito mais recorrente nas mulheres após o início da vida sexual, e de acordo com as Sociedade Brasileira de Infectologia e Sociedade Brasileira de Urologia, a infecção do trato urinário é a segunda mais frequente na população mundial, ficando atrás apenas dos problemas respiratórios. Porém, embora comuns, é possível preveni-las e garantir uma boa saúde deste sistema.

Dr. Paulo Jaworski, membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia, especialista em Urologia Minimamente Invasiva no Denver Health Medical Center – EUA e urologista da equipe de transplante renal do Hospital do Rocio, explica que o comportamento influencia muito na prevenção das infecções. “No inverno há uma confusão nas sensações urinárias. Muitas pessoas ingerem menos líquidos, têm mais preguiça de ir ao banheiro pelo fato de ter que tirar a roupa, sentar na privada gelada, especialmente mulheres e isso é um fator de risco. Transpirar menos faz com que aumente a micção, é como uma adaptação. Esse aumento na frequência urinária não pode ser confundido com infecção urinária. A infecção é quando você tem a frequência acompanhada de dor, que a urina não quer sair, em pouca quantidade, e aquela ‘gotinha que não quer sair’”.

Dor e pressa para urinar, aumento da frequência são os sintomas mais comuns da infecção urinária. Dr. Paulo recomenda que procure um médico em até 24h após os sintomas aparecerem.  Uma cistite mal tratada, que é a forma mais comum de infecção urinária, pode causar uma ascensão até os rins, causando uma pielonefrite, infecção nos rins, causando assim uma dificuldade na filtração do sangue, prejudicando o paciente. Em alguns casos, o paciente com pielonefrite pode acabar sendo internado. Jamais se automedique.

Causas e prevenção
O perfil de paciente que mais apresenta infecções urinárias são as mulheres – que podem ter até duas no ano – e causa mais comum da cistite é a relação sexual. “Existe então uma explosão de infecções urinárias na mulher após ela ter início da sua vida sexual. Outras coisas podem causar é uma baixa ingestão de água, segurar muito a urina – é um fator de risco -, fatores comportamentais, como usar roupas que esquentam muito a região genital, que fazem proliferar o número de bactérias na região, o uso de absorventes durante o período menstrual e as mulheres idosas – durante e após a menopausa, o que é bem comum. Diabetes e imunossupressão são fatores de risco para surgimento de infecções urinárias”, diz o médico.

O fator protetor mais importante é fazer xixi. “O canal da uretra da mulher é muito curto, tem três centímetros apenas, em média, então é por ali que as bactérias sobem. A infecção acontece pela ascensão das bactérias. Elas vêm de baixo para cima, vão para a bexiga, se instalam ali e causam a infecção. Uma mulher que urina com frequência, é uma mulher que toma mais líquido e previne infecções, da mesma forma mulheres que urinam após as relações sexuais. Manter uma flora vaginal equilibrada é importante na prevenção, por isso, mulheres que têm corrimento devem procurar o médico ginecologista verificar a respeito”, orienta.

Urologista é um médico de homens e mulheres. Para tratar tanto infecções urinárias, cálculos renais, tumores, alterações nos tratos urinários de homens e mulheres. Se associa a Urologia à Saúde do Homem, mas na verdade é o médico do trato urinário e da genitália masculina. Qualquer médico está habilitado a tratar um quadro de cistite simples, mas quadros de cistite de repetição em geral podem ser tratados com urologista e ginecologista.

Alerta às gestantes
Durante a gestação, a infecção urinária predispõe a partos prematuros e até abortos, o que é bastante grave. Portanto, além das medidas já mencionadas pelo médico, é importante manter o acompanhamento de pré-natal em dia. “A qualquer sinal de alteração na urina, fazer um exame de urina, porque às vezes não está com infecção urinária ainda, mas a simples presença da bactéria na urina na mulher gestante já é perigosa. Então já tem que ser tratado”, diz.
Mulheres com diabetes gestacional devem controlar, pois é um fator de risco para infecção.

Infecção nos homens
“Homens não têm infecção urinária como a mulher porque o canal da uretra é mais longo, então a bactéria quando está subindo é eliminada assim que ele urina. Para o homem, é sempre ensinado uma maneira mais fácil de urinar, mesmo que seja em locais públicos, desde a infância. Enquanto as mulheres, até na criação, são ensinadas a não usarem banheiros públicos, somente o de casa e ficam segurando a urina por longos períodos”, explica o médico.

O médico segue explicando que os pacientes homens podem ter uretrite ou prostatite. A prostatite é a infecção urinária no homem, mas os sintomas são um pouco diferentes. “Vai aumentar a frequência urinária, porém acompanhada de febre, dor no corpo, prostração. Dor na pelve, dor na uretra, alteração na urina. Eles não podem ser confundidos com o aumento da próstata, que é a hiperplasia prostática benigna, que são similares, inclusive a prostatite aguda. Isso exige uma boa investigação, para conclusão e tratamento mais adequado”, recomenda.

Mitos da infecção urinária
Friagem – “pegar friagem” não causa infecção urinária em nenhum paciente. As infecções são causadas unicamente pela ascenção das bactérias por meio do trato urinário até a bexiga.

Chá de salsinha e chá de quebra pedra – “para você melhorar, precisa tomar 300 ml de manhã, de tarde e de noite. Assim você aumenta a ingestão de líquidos. Antigamente, na época do Dr. Vitor Ferreira do Amaral, eles aconselhavam as mulheres grávidas a tomarem água e terem paciência, para lavar a bexiga. Isso faz sentido, pois isso vai fazer você urinar mais, diminuir a população de bactérias e o organismo terá como combater. O segredo é tomar água e urinar bastante”, diz.

Cálculo renal causa infecção – não de maneira geral, mas existe um tipo de cálculo renal que está associado à contaminação da urina e causa infecção urinária recorrente por conta de uma bactéria específica.

Inchaço não é infecção urinária - problemas renais ou infecção urinária não causam inchaço no rosto, braços ou pernas, este é um problema vascular e que precisa ser avaliado por um especialista desta área.