Quinta-feira | 16 de Setembro de 2021 18:42
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Opinião

Tudo é lícito, mas nem tudo convém

Nesta semana, uma grata surpresa para o setor que há tanto espera por uma recuperação significativa.

Nesta semana, uma grata surpresa para o setor que há tanto espera por uma recuperação significativa: a liberação para a realização de eventos maiores, tanto em locais abertos, como locais fechados, desde que com cuidados e cumprindo todas as medidas sanitárias necessárias para garantir a segurança de participantes e colaboradores. 

Ao longo deste mais de um ano e quatro meses de pandemia sem trabalhar ou precisando atuar de forma bastante comedida, buscando maneiras de se reinventar, agora poderão trabalhar de maneira mais efetiva, gerando empregos e renda para suas famílias. A Folha de Campo Largo chegou a contar histórias de empresas que sofreram muito nestes meses, chegando a ter relatos de empresários do setor que não tinham entradas em suas empresas, receitas zeradas.

Antes da pandemia, este era um dos setores que mais movimentava a economia do país, gerando renda ainda para o Turismo, Hotelaria, setor Gastronômico, entre outros, que acabaram tendo uma estagnação maior durante este período. A expectativa é que o quadro melhor neste momento.  Porém, é importante ressaltar que a pandemia continua, e embora “tudo seja lícito, nem tudo convém” - como é citado na Bíblia, em Coríntios.

Avaliar a participação em eventos de maneira geral é o primeiro passo para garantir a sua segurança e também a do seu próximo. A participação na mesma, conforme decreto municipal vigente em Campo Largo, está atrelada ao esquema completo de vacinação da Covid-19 ou exame negativo para o vírus, entretanto é importante ressaltar que 24.526 pessoas na cidade - até o fechamento desta edição - haviam sido vacinadas em esquema completo, portanto não se coloque em risco.

Acreditamos que os organizadores sérios estão extremamente comprometidos com a Saúde Pública, farão todo o possível para assegurar o bom andamento, mas neste momento não há outra saída, cada um precisa fazer a sua parte. Por enquanto, a população mais jovem, que compreende dos 18 aos 40 anos e que gosta de frequentar mais os eventos, ainda está em vias de vacinação, portanto, lembre-se de usar a máscara, álcool em gel e manter o distanciamento social sempre.

Ainda não estão abertas as pistas de dança e as arquibancadas dos estádios para que possamos torcer juntos, como estávamos acostumados e sentimos muita falta. Porém, se continuarmos nos cuidando poderemos garantir o sucesso dessa nova medida um pouco mais ampla e livre, que permite uma parcela maior da população trabalhar, quem sabe esse seja o próximo passo.