Sexta-feira | 21 de Janeiro de 2022 00:03
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Opinião

Todos de olho na corrida presidencial - que já começou...

O sol de 2022 já começa a nascer no horizonte com a metade do mês de dezembro chegando.

O sol de 2022 já começa a nascer no horizonte com a metade do mês de dezembro chegando. Esses primeiros raios já chegam acompanhados de temas bastante pertinentes. Carnaval, eleições e Copa do Mundo. Que assuntos mais contundentes para unir os brasileiros se não política, futebol e pandemia. Isso evidencia que se engana quem pensa que o ano só começa depois do Carnaval, principalmente o ano político. Esse já começou faz tempo.

Os pré-candidados aos governos dos estados e principalmente ao cargo máximo do país, presidente da República, começam finalmente a aparecer e para este já temos nove nomes, com tempo de sobra para entendermos melhor sobre esse processo político eleitoral tão importante e que muitas vezes passa batido. Por ser uma eleição que irá gerar grande embate político e muita polarização no país, pela presença de candidatos de extrema direita e extrema esquerda, além dos demais que tentarão a terceira via, correndo pelo centro, mas ainda assim puxando mais pelo conservadorismo ou liberalismo, estar bem informado torna-se de vital importância para conseguir acompanhar as eleições em 2022.

Embora ainda não tenha sido apresentado oficialmente, o presidente Jair Bolsonaro deve disputar a reeleição em 2022. Recém filiado ao Partido  Liberal, o PL, e conta com um eleitorado fiel. Correndo na direção oposta, seu maior concorrente em 2022 é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores, que teve sua ficha limpa ao ter as decisões de processos da Lava Jato anuladas pelo ministro do STF Edison Facchin. A pré-candidatura de Lula ainda é incerta.

Por falar em Lava Jato, o primeiro possível pré candidato é o ex-juiz Sérgio Moro, recém-filiado ao Podemos, um dos responsáveis por julgar vários processos na maior investigação de combate à corrupção e lavagem de dinheiro da história do Brasil.  Também temos a pré-candidatura do governador de São Paulo, João Doria, que vem ganhando espaço no cenário político cada vez maior. Ele disputaria a eleição pelo PSDB, que há anos busca a cadeira mais alta na política brasileira, conseguida pela última vez com Fernando Henrique Cardoso. Pelo Novo, Luiz Felipe D’Avila, defensor de privatizações e ex-tucano, é a grande aposta.

Há ainda a pré -candidatura de Ciro Gomes, pela quarta vez tenta ser eleito - ou pelo menos chegar ao segundo turno. Há ainda a pré-candidatura da senadora Simone Tibet, do MDB, nome forte na política feminina, mas que pode se tornar vice em outra chapa e também de Alessandro Vieira, do Cidadania, que é recém-chegado na política. Há nomes ainda que irão confirmar, muita água para rolar por baixo dessa ponte chamada política, pois embora 2022 esteja a um passo de chegar, o cenário político depende de toda uma aceitação da população, de estratégias e principalmente de propostas viáveis e muito carisma. Por aqui seguimos acompanhando e atualizando esse jogo que nunca para e está sempre com novas regras.