Terça-feira | 11 de Maio de 2021 00:58
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Opinião

Nossos gestores estão preocupados com a longevidade?

Uma grata notícia, a de que estamos bem entre os melhores municípios para se envelhecer. A informação é do Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade – Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV (IDL).

Uma grata notícia, a de que estamos bem entre os melhores municípios para se envelhecer. A informação é do Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade – Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV (IDL). Um conteúdo que gera muita reflexão, principalmente na época em que estamos vivendo, com eleições próximas.

Esse estudo mostra que a sociedade precisa se preparar para esse desafio, que é envelhecer. Precisamos começar mudando uma ideia estereotipada dos “mais velhos”. Chegar à melhor idade não é sinônimo de limitação ou incapacidade. Não é pouco comum, inclusive, vermos idosos participando até mesmo de corridas e muitos mostram uma disposição de dar inveja. São ativos, quererem aproveitar a vida ao máximo e com muita maturidade continuam com um turbilhão de boas ideias para colocar em prática nos negócios. Muitos aposentados começam até mesmo a se dedicar a hobbies e passam a viver de forma diferente, valorizando o bem-estar e a saúde.

Mas para chegarmos bem nesta etapa precisamos de estrutura e condições, como também de planejamento. Fundamental que nossos gestores também estejam preocupados com nossa qualidade de vida e de como estaremos amparados lá na frente. O estudo, inclusive, aponta que as empresas modernas e mais competitivas estão permanentemente ansiosas por identificar centros de elevada qualidade de vida, especialmente pelo potencial de aumento da produtividade por meio das melhores condições de vida nas cidades. Assim, cidades que despontam com melhor qualidade de vida despertam ainda mais o interesse das grandes empresas e investimentos. Preparar um bom lugar para a população mais idosa torna-se uma vantagem competitiva.

A análise feita pelo Instituto é bem ampla, levando em consideração cuidados de saúde, bem-estar, transporte, situação financeira, trabalho e oportunidades educacionais, envolvimento com a comunidade e habitação. De acordo com o Bem Paraná, estamos em 113º lugar a nível nacional e avaliada a nível Paraná nossa posição é ainda melhor, a décima melhor cidade entre as maiores cidades do Estado. Estamos à frente até mesmo de Ponta Grossa, Foz do Iguaçu, São José dos Pinhais e Araucária, por exemplo. E um dos fatores que eleva nossa classificação é a nossa referência em Saúde, mas que assim seja também em mais alternativas de lazer, atividades esportivas, menos violência, emprego, cultura, infraestrutura e tudo que nos é de direito para uma vida digna.