Sábado | 23 de Outubro de 2021 09:30
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Opinião

De repente, o que parecia distante se torna real

Recordações de cenas que seriam mais comuns de serem registradas em cidades distantes, grandes capitais, acabam tomando páginas do jornal local.

Recordações de cenas que seriam mais comuns de serem registradas em cidades distantes, grandes capitais, acabam tomando páginas do jornal local. Arrastão. Palavra forte, que gera desconforto, desconfiança e gatilhos emocionais em quem lê, mas precisa voltar ao trabalho no dia seguinte. “Parecia cena do Jornal Nacional”, retratou uma vítima. “Gerou revolta, mas não reagi, porque minha vida valia mais que um celular”, disse outra vítima.

Histórias que ficarão registradas na memória e ainda que os dias estejam passando aparentemente depressa, as conversas nas filas dos terminais continuam sendo as mesmas. No dia seguinte, para entrar no ônibus, há quem conte que adiou o embarque até próximo das 22h por medo mesmo do episódio repetir, pois não tinha escolha. Não tinha carro, dinheiro para Uber, táxi, carona, a única alternativa realmente era o ônibus para voltar para casa.

É triste pensar que o trabalhador se dedica tanto e acaba sendo vítima de um crime como este, que causa prejuízos emocionais e financeiros, cuja recuperação pode levar muito tempo para acontecer. A questão é que se trata de um problema maior, quase estrutural, pois o crime tem origens mais profundas.

Há mensagens no WhatsApp alertando os passageiros para que tomem cuidado na hora de usar o transporte público, ficando alerta para o uso de aparelhos eletrônicos no interior do veículo, bem como outros objetos de valor.

É importante saber usar os números das forças de segurança pública de maneira discreta e com sabedoria também, para garantir que atividades criminosas suspeitas sejam coibidas. Por exemplo, ao verificar pessoas com atitudes suspeitas – utilizando blusas de moletom em dias quentes, nervosismo exacerbado, perguntas estranhas, inquietação, entre outros – afaste-se e chame a Guarda Municipal pelo telefone 153.

Nessas situações lembre-se de sempre acionar as forças de segurança e confiar a elas o trabalho a ser feito, jamais reagir, pois um movimento errado pode custar a vida de várias pessoas inocentes. Sabemos que este é um período de tensão que paira pelo ar, mas o cuidado e o zelo pelo bem-estar dos passageiros e da própria vida deve acontecer constantemente. Não se deixe enganar acreditando que caso os causadores destes arrastões sejam presos é motivo para relaxar devido aos cuidados que estão sendo tomados agora. Pelo contrário.

Vivemos em uma sociedade onde precisamos estar em um constante alerta, pois, além de envolver órgãos responsáveis, a segurança está na responsabilidade em saber agir e fazer da maneira correta.