Sexta-feira | 16 de Abril de 2021 22:44
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Visão empreendedora e hoje à frente de 14 empresas e um e-commerce

O campo-larguense Marcelo Roberto Vaz Filho, aos 29 anos de idade, está à frente não só da Royal Outlet, em Campo Largo, como também de outras 13 empresas – sendo seis no último ano, em plena pandemia

Muita dedicação, persistência, constante busca por aprendizado, nunca se dar por satisfeito, saber que sempre tem que evoluir... mudar... melhorar e nunca parar. Essas são características que fizeram com que hoje Marcelo Roberto Vaz Filho, aos 29 anos de idade, estivesse à frente não só da Royal Outlet, em Campo Largo, como também de outras 13 empresas – sendo seis no último ano, em plena pandemia.

Mais uma vez a crise foi vista como oportunidade de crescimento por ele. Conseguiu se manter estável no mercado, sem precisar demitir ninguém e assim que conseguiu ir reabrindo as lojas fechadas, retomou a expansão e contratação de novas pessoas. Entendeu que precisava estar mais espalhado, porque suas lojas estavam concentradas no mesmo lugar e em situações como essa de fechamento de lojas acabava comprometendo todas de uma vez, porque oscila muito de acordo com a região em que está inserida.

“A crise vem e junto com ela traz oportunidades. Muitas pessoas fecharam espaços que antes era difícil de entrar em shoppings ou algumas cidades que passaram a ficar disponíveis e com boa negociação, mais favorável. Revi todas as negociações que eu tinha com proprietários de imóveis e fornecedores. Nisso vi quem eram os parceiros, fortaleci estas relações e mudei algumas”, explica.

As empresas fazem parte da Royal Holding. Hoje está em crescente produção de marca própria de acessórios, calçados, camiseta, calça jeans, moletom e outros. “A produção só foi afetada na pandemia pela falta de matéria-prima, mas enquanto tinha não parou e hoje está quase 100% rodando e querendo aumentar turnos”, detalha ele, citando que produz mais de 100 mil peças por ano. Diz que consegue ter um custo mais baixo sem abrir mão de qualidade.

Esse rápido crescimento tem exigido cada vez mais dele. Conta que investe muito em cursos porque a exigência do mercado e da equipe é cada vez maior. “Preciso mais do que nunca ter tempo para mim, para que eu consiga estar aprendendo, senão vou ficando para trás.

Às vezes me emociona pensar o que já conquistei e lembrar de tudo que já passei. Não tem tempo ruim, sigo em frente”, completa.

Hoje está presente em Ponta Grossa, Foz do Iguaçu e iniciando em Santa Catarina – Balneário Camboriú, Itajaí e Porto Belo. Também está estruturando seu e-commerce para venda da marca própria porque, segundo ele, acaba sendo um outro negócio, que demanda outra equipe e planejamento.

Com visão bastante empreendedora e mantendo os pés no chão, enxerga 2021 com dificuldade por falta de matéria-prima, porque tem reflexo da parada de produção no mundo, mas que será mais um ano de muito crescimento.