Sexta-feira | 30 de Julho de 2021 06:19
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Viaduto Soldado Lucas Liça é entregue oficialmente a Campo Largo

A obra foi realizada em 11 meses, com investimento superior a R$ 17 milhões e levará mais segurança para a população da região do Jardim Guarany, Colônia Dom Pedro e bairros próximos. O nome escolhido é em homenagem ao morador Soldado Lucas Liça, que faleceu em acidente no ano de 2015, na região

Foi inaugurada oficialmente no final da manhã desta quarta-feira (14) o Complexo Rodoviário Lucas Liça, na região do Jardim Guarany, no km 104. A interseção estava liberada para tráfego de veículos e pedestres desde o último dia 02 de julho. A construção, feita no formato de ferradura, chamou atenção pela rápida execução, que levou aproximadamente 11 meses para ficar pronta e recebeu cerca de R$ 17,9 milhões em investimentos, sendo parte da execução do acordo leniência entre a concessionária CCR RodoNorte e o Ministério Público Federal (MPF).

 Agora, moradores da região do Jardim Guarany, Colônia Dom Pedro, Revier e outros bairros que compõem a região, terão mais segurança ao trafegar na rodovia para realizar o retorno em desnível. Esse era considerado um dos trechos mais perigosos da BR-277 em Campo Largo. O complexo rodoviário é composto de viaduto tipo ferradura, com dois quilômetros de pistas marginais e rotatória, o que facilita a circulação de veículos, inclusive de grande porte.  

Estiveram presentes na cerimônia de inauguração o governador Carlos Massa Ratinho Junior, o prefeito Maurício Rivabem, a diretora-presidente da CCR RodoNorte Thais Caroline Labre e demais autoridades municipais, estaduais e federais. Também estiveram presentes familiares do Soldado Lucas Liça, que leva o nome da obra, e também representantes da população local.

O governador Ratinho Junior explicou que a obra levará mais segurança aos cidadãos que moram nesta região e que a escolha pelo local foi feita com base nas informações da Polícia Rodoviária Federal (PRF) sobre os trechos onde mais ocorriam acidentes. “Essa é uma obra que há mais de 30 anos a população pedia. Temos muitas comunidades aqui e muitas vidas foram perdidas, inclusive hoje estamos homenageando um soldado que perdeu sua vida lamentavelmente nesta rodovia. Além de salvar muitas vidas, vamos integrar esse bairro, que é muito importante para quem vem para Curitiba, Interior do Estado, um dia muito importante”, disse.

Ele reforçou ainda que a obra trará muitas oportunidades de crescimento econômico para a região e para Campo Largo como um todo. “Quando você tem uma obra que melhora a logística do entorno, automaticamente atrai novos investimentos. Muitas empresas que gostariam de se instalar neste trecho, que é estratégico inclusive, por estar próximo de Curitiba, Campo Largo, Ponta Grossa, e demais rodovias da Região Metropolitana, acabavam evitando porque a saída de caminhões era muito grande, muito arriscada. A partir de agora há uma nova abertura para área de desenvolvimento, industrial, que irá gerar novas oportunidades de emprego para pessoas que aqui moram ou que venham morar aqui nesta região. É um ganho porque acaba com a violência no trânsito e acidentes e um ganho econômico, por causa da segurança viária”, ressaltou.

O prefeito de Campo Largo, Maurício Rivabem, também destacou a importância da conquista da segurança para toda a comunidade. “A rodovia tem um fluxo muito grande, e cada dia ele aumenta mais, então atravessar estava sendo cada vez mais complicado para a população. Então tínhamos um grande problema de segurança no trânsito. Ainda, a rodovia dividia os bairros, então o que dificultava o acesso de moradores e muitas indústrias que queriam vir para cá, acabavam não vendo viabilidade, pois precisavam rodar muitos quilômetros para chegar até o retorno. Empresários que quiserem investir aqui, as portas de Campo Largo estão abertas, pois o problema acabou”, reforça Maurício.

A respeito da passarela, que vem sendo reivindicada por moradores da Colônia Dom Pedro, Revier e regiões próximas, as autoridades garantiram que são proposições justas e todas os trâmites necessários estão sendo avaliados para garantir ainda mais segurança para a população.

O secretário de Infraestrutura Sandro Alex disse que esta é uma obra de mobilidade para quem mora em Campo Largo e estratégica para quem trafega na rodovia BR-277. “Nós temos que compatibilizar 60 mil veículos que trafegam na rodovia com quem vive aqui. Nós recebemos a incumbência de escolher quais obras seriam executadas e o Governo do Paraná, em conjunto com a Polícia Rodoviária Federal fez a escolha priorizando vidas. Nós entregamos a obra em tempo recorde, pois estamos falando de 11 meses de uma obra de engenharia moderna e que teve uma aplicação de mais de 17 milhões de reais, viabilizando tempo, engenharia e recursos. Quem saiu ganhando foi a população”, ressaltou.  

 

 

A obra

Assim como aconteceu na obra do Km 109, no Cercadinho, a construção do complexo foi feita sem interrupção do fluxo, por onde passam aproximadamente 60 mil veículos por dia. “Em um ano de pandemia isso é muito significativo. A obra aconteceu em tempo recorde, e precisou de muito planejamento”, disse a diretora-presidente da CCR RodoNorte, Thais Labre.

Conforme divulgação da Comunicação da CCR RodoNorte, foram aproximadamente 150 profissionais envolvidos diretamente nos trabalhos, além de outros 500 indiretos. Para a nova Interseção do Jardim Guarany, as equipes realizaram de mais de 26 mil metros cúbicos em escavações, além da execução e instalação de 945 metros em barreiras de concreto, 288 estacas de concreto. Foram 5,4 mil toneladas em materiais para pavimentação asfáltica, além de mais dois quilômetros de pintura e sinalização horizontal. Ao todo, foram lançadas 12 vigas de 19,8 metros de comprimento e peso estimado em 17 toneladas/cada para a estrutura do complexo.

Questionada se a obra está finalizada, Thais explicou que implantar uma melhoria deste tamanho exige que várias condições sejam alteradas, como travessia de pedestres, pontos de ônibus e outros fatores. “Uma obra deste tamanho nunca está 100% pronta, ela está sempre acompanhando o desenvolvimento da comunidade. Ela foi executada conforme o planejamento original dela, mas eu imagino que daqui para frente ela irá se ajustando às demandas da sociedade”, finaliza.

 

Quem foi o Soldado Lucas Liça

 Lucas Liça viveu grande parte da sua vida no Jardim Guarany. Professor de História, Lucas sonhava com o dia que se tornaria policial e com grande esforço e muita dedicação passou no concurso, passando a integrar a Polícia Militar do Paraná, mais precisamente a Ronda Ostensiva com Apoio de Motocicletas (Rocam). Há pouco tempo havia se mudado para a região central de Campo Largo.

Infelizmente, no dia 01 de julho de 2015, Lucas se envolveu em um acidente com sua motocicleta e um caminhão, na região do Jardim Guarany, quando voltava de um treinamento que participou em Curitiba. Ele faleceu no local do acidente.

Familiares, amigos e toda a comunidade se mobilizaram então com passeatas, abaixo-assinados e eventos para que uma trincheira fosse construída para que mais pessoas não perdessem suas vidas e seus entes queridos naquela região e houvesse mais segurança para todos. “Antes mesmo de falecer o Lucas havia participado de mobilizações para fazer essa melhoria também. Temos amigos e vizinhos que perderam muitos entes queridos neste mesmo trecho, eram situações bastante recorrentes, esperamos que agora todos estejam mais seguros”, completa o irmão, Leandro Liça.

A família do Soldado Lucas Liça recebeu das mãos do governador Ratinho Junior uma medalha de honra e também flores do prefeito Maurício Rivabem.

Fotos: Divulgação - Agência Estadual de Notícias