Sexta-feira | 16 de Abril de 2021 23:09
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Realizar queimadas é considerado crime ambiental passível de multa

Cenas que chocam qualquer pessoa foram gravadas por um morador do Jardim Florestal na última sexta-feira (19)



Cenas que chocam qualquer pessoa foram gravadas por um morador do Jardim Florestal na última sexta-feira (19). Uma pessoa ateou fogo em uma mata próximo do condomínio Residencial Denise, na Avenida Cristina, já no início da tarde, e além da fumaça, acabou causando transtornos aos moradores, dificuldade para respirar e o medo que o incêndio na mata se alastrasse e acabasse atingindo ainda casas da região.

De acordo com a pessoa que enviou o vídeo para a Folha de Campo Largo, na mata onde o fogo foi ateado vivem animais, como esquilos, gambás, lagartos, porco espinhos e diversas aves que fazem ninho, e com isso a queimada prejudica também o ecossistema.
A Redação conversou com Mirela Medeiros, analista ambiental e diretora de departamento, planejamento e Gestão Ambiental da Prefeitura de Campo Largo, que explicou que Campo Largo sofre muito com essa cultura ainda de colocar fogo em lixo – seja ele orgânico, reciclável ou verde – e isso acontece especialmente nesta época do ano. “Isso é muito errado e não há motivos para que o cidadão realize esse tipo de prática. Para todos os tipos de lixo nós oferecemos o serviço de coleta, mesmo lixo verde, que são as podas e resíduos de grama e folhas secas. Caso o cidadão não queira deixar em decomposição, ele pode ligar na Prefeitura e agendar a coleta. Mas ainda há pessoas que preferem ajuntar um montante e atear fogo. Essa prática é considerado um crime ambiental passível de multa e o cidadão responde na esfera administrativa e criminal.”

Mirela salienta que isso independe se acontece em um espaço público ou privado, os vizinhos podem denunciar para a Prefeitura e se efetuado o flagrante pela fiscalização, o cidadão irá responder o processo. Em caso de incêndio o Corpo de Bombeiros pode ser chamado também para evitar que um acidente ocorra e o fogo tome proporções maiores.
“Atear fogo dessa forma prejudica o ar, que já está seco, prejudica o solo, afugenta os animais e coloca em risco toda a vizinhança, causando ainda problemas de origem social, como o relacionamento entre as pessoas. O ideal é sempre respeitar o espaço do outro e realizar a separação do lixo, descartá-lo de maneira correta, para que o impacto ambiental e social seja o menor possível”, acrescenta.

Lareiras, churrasqueiras e fogão à lenha
Mesmo quando o fogo é em locais apropriados, como nas lareriras, churrasqueiras e fogões à lenha, o material queimado deve ser apropriado, como a lenha, gravetos e carvão, para que a agressão ao meio ambiente seja a menor possível.
É possível identificar a queima de lixo nestes locais pelo cheiro e aspecto da fumaça, sendo considerado crime ambiental da mesma forma e passível das mesmas punições.

 

Corpo de Bombeiros alerta

O comandante do Corpo de Bombeiros de Campo Largo (2º SGB/7º GB), capitão Cleber Daverson explica que fatores como a temperatura elevada, ventos fortes, vegetação seca, longos períodos sem chuva, umidade relativa do ar baixa podem influenciar para que o fogo se espalhe com maior velocidade.

“Quando perceber que o fogo está sem controle, que não será parado por nenhuma barreira (muro, estrada, aceiro, rio) e que ofereça riscos para vegetação, patrimônio, vidas ou que possa provocar acidentes pela diminuição de visibilidade causada pela fumaça, o Corpo de Bombeiros deve ser acionado imediatamente. Lembrando que a maioria dos incêndios são provocados através da ação humana. Quando se tem indícios de incêndio criminoso, o Corpo de Bombeiros aciona a Polícia Civil para que faça a investigação”, finaliza.