Quinta-feira | 16 de Setembro de 2021 18:26
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Proximidade e ambientes mais aconchegantes estão presentes nos projetos pós-pandemia

O isolamento social fez com que aumentasse a procura dos clientes por espaços integrados e com acolhimento  

A pandemia de Covid-19 mudou muitas perspectivas na vida das pessoas, inclusive a forma como elas enxergam suas próprias casas. Isso acontece justamente porque, com o isolamento social, houve a necessidade de ficar mais tempo em casa e, com isso, mais tempo para ver o que precisava ser ajustado nos lares.

O arquiteto Pedro Druziki explicou à Folha de Campo Largo que o maior tempo em casa deu vazão aos detalhes da casa. “Muitas pessoas saíam cedo para trabalhar e retornavam apenas para dormir. De repente, se viram passando 24h em casa, fazendo refeições, trabalhando. Então elas passaram a valorizar seus espaços dentro de casa, seus objetos, suas obras de artes. A tendência agora, mais do que nunca, são os espaços integrados, como salas e cozinha, espaço gourmet e outros. A pandemia fez com que as pessoas queiram estar mais perto da família, ter mais contato visual e afetivo dentro das casas. Estamos em uma tendência do ‘novo morar’ e também do ‘morar bem’.”

O profissional ressalta que as casas continuam funcionais, como sempre foram, pois em um projeto os profissionais do meio da Arquitetura e do Design de Interiores buscam justamente isso, atender às necessidades das famílias que viverão no espaço, porém o que mudou muito foi a personalidade de cada morador e a sua visão de casa, Arquitetura e dos objetos.

“Hoje, além dos espaços integrados, o grande pedido dos clientes é por aconchego e acolhimento. A casa precisa acolher seus moradores. Alguns ambientes deixaram de ser tão funcionais para serem mais usuais, mais confortáveis e aconchegantes. Alguns ambientes tornaram-se indispensáveis hoje em dia, e estão cada vez sendo mais solicitados pelos clientes. Ambientes de relaxamento e meditação, oratórios, academias, salas de cinema, hortas, entre outros. Agora sem dúvida, o ambiente que mais se tornou indispensável foi o escritório e um espaço específico para home office. Muitas pessoas se depararam com a situação de ter que trabalhar em casa e não ter um espaço adequado para isso. Esse pedido foi para novos projetos, mas também para projetos de reforma. Muitos clientes tinham espaços em casa que poderiam ser aproveitados, mesmo sendo espaços muito pequenos”, revela.

Sempre tendência

Com as redes sociais, principalmente o Instagram e o Pinterest, os clientes conseguem ter mais acesso às tendências e inspirações que mais se adequam às suas personalidades e desejos para suas residências. “Os clientes podem acompanhar muito de perto os profissionais e escritórios que admiram através das redes sociais. É muito válido quando o cliente já traz as suas referências, facilita muito na hora de projetarmos e evita retrabalhos. Cabe então ao profissional saber filtrar estas informações, pois muitas referências não se aplicam ao projeto dele ou são de outros países, que têm sistemas construtivos que não são tão comuns em nossa região ou país. Nestes casos, às vezes falta até qualificação profissional por parte da mão de obra que dispomos”, comenta.

“Hoje em dia é possível repaginar sua casa sem gastar muito ou deixar o ambiente pesado com excesso de informações. O minimalismo, por exemplo, assim como ambientes monocromáticos sempre estarão em alta, é um estilo que nunca sai da moda e também é uma das premissas do meu trabalho. Não acredito que você precise de muitas coisas ou objetos para ter um ambiente acolhedor, funcional e aconchegante, esse é um estilo que proporciona isso também. Agora engana-se quem imagina que um ambiente minimalista se torna barato por possuir poucas coisas ou objetos, pelo contrário. Muitas vezes apenas uma mudança no layout, uma mudança na disposição dos móveis existentes, e até mesmo a retirada de itens da decoração que não são usados, já transformam os espaços”, finaliza.