Terça-feira | 11 de Maio de 2021 01:14
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Preservação e qualidade do Estádio Atílio Gionédis têm chamado atenção de times da capital

Nas últimas semanas, o Paraná Clube e o Coritiba expressaram à Federação Paranaense de Futebol (FPF) que gostariam de mandar jogos no estádio campo-larguense


Há alguns dias, os campo-larguenses atentos ao mundo do esporte, especialmente do futebol, estão sendo surpreendidos com notícias sobre a possibilidade de times da primeira divisão do Campeonato Paranaense disputarem seus jogos no estádio Atílio Gionédis, localizado na região central de Campo Largo.

A Folha visitou o estádio na última terça-feira (13) e conversou com Thiago Rogiski, diretor do Internacional Esporte Clube, que explicou que o estádio tem hoje habilitação e toda a documentação necessária para receber jogos profissionais de futebol. “Há aproximadamente oito anos foram realizados investimentos no estádio para torná-lo profissional e habilitado junto à Federação Paranaense de Futebol, tanto que ao entrar no site da FPF é o primeiro estádio da lista. A administração não mede esforços para manter o padrão e melhorar a cada dia o estádio Atílio Gionédis, que tem se destacado diante de times da primeira divisão também. Ha cerca de cinco anos já recebemos jogos profissionais da segunda e terceira divisão do Campeonato Paranaense e, para nós, é sempre uma honra ter nosso nome lembrado pelos demais clubes paranaenses.”

Atualmente, além do time do Internacional que treina fixo no estádio, também usam o espaço o Araucária e o Andraus. Para garantir a qualidade do gramado do estádio, a grama é aparada semanalmente e duas vezes ao ano é realizada uma recomposição e adubação.
Thiago contou que o Paraná Clube realizou treinos de reconhecimento de campo e conheceu todas as instalações do estádio na última sexta-feira (09) e já havia sinalizado a preferência pelo estádio campo-larguense, visto a qualidade dos ambientes e do gramado, bem como a proximidade com Curitiba, o que evitaria o desgaste de jogadores com viagens às cidades mais distantes, por exemplo. Porém, a FPF não homologou nenhum jogo do Paraná Clube para a terça-feira (13) ou quarta-feira (14), então ambas as instituições seguem aguardando um posicionamento.

“Todos os clubes que nos procurarem serão recebidos com respeito e cordialidade, todos terão as portas abertas no nosso estádio. Nossa estrutura visa atender às demandas do Internacional, bem como de todos os clubes que tenham interesse em utilizar nosso espaço”, reforça o diretor.

Para a realização das partidas, o estádio mantém em dia os laudos de Segurança, Vigilância Sanitária, Engenharia e Corpo de Bombeiros. Por conta da pandemia, para garantir a segurança de todos, antes dos jogos oficiais é necessário que todos que entrem no estádio sejam testados para Covid-19 com 72 horas de antecedência e tenham seus laudos emitidos 24 horas antes, com negativo para o vírus, além de todo um cuidado e protocolos para evitar o contágio, desde o vestiário até o banco de reservas e setor da imprensa. Não é permitida a presença de torcida.

Atílio Gionédis
Antes de estar localizado na Avenida Vereador Arlindo Chemim, 180, Centro, o estádio do Internacional era onde atualmente hoje fica o Reino da Loucinha, conforme conta Thiago. O clube foi fundado em 30 de maio de 1945 e acumulou vários títulos no futebol amador de Campo Largo e também no Paraná, sendo um dos mais expressivos.
O estádio leva o nome de uma personalidade que marcou a história do clube e também de Campo Largo. Atílio Gionédis, ou o “Tico”, como era conhecido na cidade, era um homem reconhecido pela grande maioria da população local, não apenas por ser um antigo comerciante, no ramo de açougues, como pela sua dedicação ao esporte. Foi presidente do Internacional Esporte Clube, reeleito por 24 vezes, no período de 1963 a 2007. Por sua dedicação ao clube e ao futebol, é considerado o símbolo deste esporte, tendo recebido o título Benemérito do Futebol, emitido pela Federação Paranaense. Tico Gionédis faleceu em 20 de setembro de 2015.