Quinta-feira | 16 de Setembro de 2021 17:56
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Campo-larguense ganha espaço na internet com aulas de crochê no YouTube

Anielle Neri tem mais de 120 mil inscritos em seu canal, de várias partes do mundo, e agenda cheia de pedidos até janeiro de 2022  

Um canal que começou por acaso, mas que se tornou o trabalho da campo-larguense Anielle Neri. Ela dá aulas de crochê pelo YouTube e possui mais de 120 mil inscritos no seu canal Anielle Mania de Crochê. Segundo dados da própria plataforma, o canal foi inciado em 08 de abril de 2016 e soma 6.964.879 visualizações, até o fechamento desta matéria. Ela recebeu a placa de 100 mil inscritos na última terça-feira (24) e contou à Folha um pouco da história do seu canal.

Moradora do bairro Guarani, Anielle começou na arte do crochê desde muito nova, quando aprendeu o básico com a sua mãe. No ano de 2015, precisou passar por uma cirurgia que a deixou de cama por várias semanas. “Não sou uma pessoa que fica parada por muito tempo, mas por causa da minha recuperação eu precisei. Foi no crochê que eu encontrei um modo de passar o tempo e me distrair, além de aprimorar as minhas técnicas, fazendo muitas peças.”

Foi em 2016 que a cunhada de Anielle, Débora, que mora em São Paulo, pediu para que ela desse aulas para ela, pois também gostaria de aprender a arte. Como o WhatsApp não permite o envio de vídeos pesados, o marido de Anielle sugeriu que ela gravasse um vídeo, postasse no YouTube e enviasse o link para Débora assistir. “Eu fiz um vídeo bem caseiro, com cachorro latindo atrás, fora dos padrões que eu faço hoje. Coloquei o título de ‘Dicas de Crochê’ e o vídeo viralizou no YouTube. É o vídeo que eu tenho quase um milhão de visualizações”, comenta.

Depois disso, Anielle começou a se dedicar mais ao canal, mesmo tendo que administrar todas as outras áreas da sua vida junto. “Separo uma hora todos os dias para interagir com as minhas seguidoras no YouTube. São muitas, de vários lugares, inclusive de sete países diferentes, como Japão, México e Romenia, por exemplo. Uso o Google Tradutor para conversar com elas. Vejo o que elas têm de sugestão para o canal, o que querem aprender e anoto na minha agenda. Já tenho pedidos até janeiro de 2022”, revela.
Com o canal consolidado na plataforma, Anielle conquista hoje cerca de 500 inscritos por dia e tem uma frequência maior na postagem dos vídeos, que levam em média oito horas para serem produzidos. A família toda é mobilizada para ajudá-la, tanto na edição dos vídeos, publicação, estratégias para alcance e divulgação.

Conteúdos que edificam
Anielle não ensina somente a fazer crochê, mas promove uma fonte de renda e também auxilia pessoas que estão em depressão com esta terapia. “Nos meus vídeos eu ensino a calcular preços, escolher o material adequado para aquela peça e como vendê-lo. Há algumas semanas abri uma página no Facebook para que as minhas alunas postassem suas peças para venda e trocassem ideias. Tem sido ótimo”, diz.

A pandemia fez com que as pessoas procurassem mais por trabalhos manuais. Então elas encontraram no canal de Anielle aulas gratuitas completas, inclusive com receitas da mesma peça para tamanhos diferentes.

“Recebo diariamente relatos de pessoas que falam que estão conseguindo curar a depressão porque estão empenhadas nesta atividade. Fazer o crochê é uma terapia, extremamente relaxante para quem gosta, além de você ver uma peça linda no final do trabalho, confeccionada pelas suas mãos”, finaliza.

Conheça o canal de Anielle: https://www.youtube.com/AnielleManiadeCroche. Siga no Instagram @aniellecroche.