Sábado | 23 de Outubro de 2021 07:27
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

90% dos moradores de Campo Largo que receberam resultado positivo para Covid-19 estão recuperados

Um deles é o campo-larguense Gilberto Renadi, que ficou 54 dias internado. Esposa conta sobre como aconteceu e a emoção no reencontro

O ano de 2020 é de longe o mais desafiador para todos, mas o que reserva também muitas histórias de superação. De acordo com o boletim da Prefeitura de Campo Largo sobre a Covid-19, 90% dos campo-larguenses que receberam diagnóstico positivo para o vírus estão recuperados. O documento emitido terça-feira (08) afirma ainda que a cidade permanece na bandeira laranja - grau de risco considerado médio, mas há estabilidade em alguns dos indicadores epidemiológicos monitorados. Mesmo com esta perspectiva de estabilidade e até de melhoria em alguns dos indicadores, as medidas de prevenção continuam sendo essenciais no combate à Covid-19.

Uma dessas histórias de superação é do campo-larguense Gilberto Renadi, que ficou 54 dias internado, mas hoje já está em casa com a família, conforme conta a sua esposa Maria Cristina. “Ele apenas teve tosse, não teve febre, perda do paladar, nada. Somente muita tosse. Ele foi para o Centro Médico onde fizeram teste e no dia 15 de julho já estava em isolamento. No dia seguinte precisou voltar ao Centro Médico e já usou o oxigênio e no dia 17 foi transferido para o Hospital do Rocio. Segundo os médicos, na tomografia que ele fez estava com 80% do pulmão comprometido.”

A esposa continua contando que à 1h40 da manhã ela foi chamada para ir ao Rocio, mas não pode, pois estava em isolamento. Um sobrinho foi até lá e foi informado que Gilberto havia sido internado na UTI, estava intubado e que seu caso era gravíssimo. Gilberto precisou ainda realizar uma traqueostomia, a qual utiliza ainda hoje.

“Depois disso, comecei a receber notícias dele somente às terças-feiras, quintas-feiras e sábados, quando eu ia até o hospital e os médicos falavam comigo por um telefone, mas falavam somente o básico, as gravidades. Foi um momento de angústia, aflição sem igual. A equipe que cuidou dele deixou bem claro que somente um milagre salvaria ele e foi o que aconteceu”, relembra ela.

Além da infecção causada pela Covid-19, ele também teve uma mancha no cérebro e fibrose pulmonar, precisando permanecer 47 dias na UTI do hospital. Após receber alta da UTI, ele precisou permanecer ainda sete dias internado na enfermaria. A alta definitiva do hospital chegou na última segunda-feira (07).

“Em 10 anos de casamento nós nunca ficamos longe um do outro, não brigamos, somos muito amigos, companheiros de verdade. Foi muito difícil esse momento. Mas graças à fé, hoje ele está aqui em casa e eu estou cuidando dele, pois ainda está debilitado e usa a traqueostomia. Conversa pouco, mas tenho fé que ele voltará a ficar 100% novamente. Quando eu o vi depois de todos esses dias, no meu coração transbordou amor, alegria e cuidado, todos os sentimentos ruins foram embora e eu sabia que estava vendo o milagre de Deus na minha frente. Agradeço a todos que oraram por ele, sei que foram muitas pessoas”, diz Cristina.

Embora Gilberto fora contaminado pela Covid-19, Maria Cristina e o filho do casal, de apenas 06 anos, não tiveram diagnóstico positivo. Outras pessoas da família, que moram no mesmo terreno testaram positivo, mas tiveram apenas sintomas leves.