Quinta-feira às 25 de Julho de 2024 às 03:48:46
Saúde

Campanha “Paraná, terra de sangue bom” incentiva a doação de sangue no Junho Vermelho

Nesta sexta-feira (14) é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, na busca por conscientizar o maior número de pessoas possível sobre a importância do ato.

Campanha “Paraná, terra de sangue bom” incentiva a doação de sangue no Junho Vermelho

Nesta sexta-feira (14) é comemorado o Dia Mundial do Doador de Sangue, na busca por conscientizar o maior número de pessoas possível sobre a importância do ato. Em todo o País, governo e sociedade civil organizada se unem para a campanha Junho Vermelho, buscando aumentar os estoques de doação de sangue nos bancos, que enfrentam baixa durante o inverno.

“Em alusão à data e todo o mês de junho, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (Sesa), lançou a campanha ‘Paraná, terra de sangue bom’, que incentiva os paranaenses a doarem sangue. Na semana passada, nós já percebemos uma queda no número de doadores e de estoque de sangue, algo que se deve ao frio; já percebemos que quando há dias chuvosos ou com frio, os estoques tendem a baixar”, ressalta Vívan Raksa, diretora do Centro de Hematologia e Hemoterapia do Paraná (Hemepar) em entrevista à Folha.

Segundo Vívan, Campo Largo é abastecido com estoques de sangue vindo do Hemepar de Curitiba e utiliza um grande contingente. O Hemepar de Curitiba é responsável pelo abastecimento de 42 hospitais, incluindo Hospital do Rocio/Centro, Hospital Infantil Waldemar Monastier e Hospital São Lucas. Como são realizados tratamentos e cirurgias de alta complexidade, um número importante de bolsas é enviado para a cidade. Somente neste ano, o Paraná registrou 83 mil doações de sangue. Durante todo o ano passado, foram mais de 187 mil doações.

“Todos os tipos sanguíneos são extremamente importantes para nós e a doação é um ato muito nobre. Os tipos O+ e O- são utilizados também em situações emergenciais, quando nem sempre é possível esperar um exame para verificação de qual tipo sanguíneo o paciente é. Eles são os que chamamos de doadores universais, por isso, precisamos manter um estoque mais elevado desses tipos”, acrescenta.

Processo do sangue
Após a coleta da bolsa de sangue, é necessário realizar todo um processo, bastante minucioso, para que esses hemocomponentes sejam seguros aos pacientes que irão receber. Por isso, ainda durante a coleta são retiradas algumas amostras de sangue para a realização de exames e testes para sífilis, doença de chagas, hepatite B, hepatite C, infecção pelo vírus HIV e HTLV.

O sangue coletado em Bolsa é separado em até quatro componentes diferentes, que são o concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas, plasma e crioprecipitado. Estes hemocomponentes são armazenados e utilizados para transfusão somente após o resultado negativo dos testes sorológicos e realização de todo o processo necessário, o que leva de 24h a 48h.

“Por isso a sinceridade na hora da entrevista/consulta que nós realizamos antes da doação é tão importante. Não se deve ocultar informações do profissional de saúde relacionado às perguntas feitas. Por isso ressaltamos a importância de o doador ler os impedimentos temporários para doação, que estão disponíveis no site da Secretaria de Saúde do Estado, que incluem procedimentos, uso de medicamentos ou substâncias diversas, entre outros”, ressalta Vivan.

Quem pode doar
Uma única bolsa de sangue pode salvar a vida de até três pessoas. Para manter o estoque adequado do banco de sangue, são necessárias muitas doações. O ideal é que cada pessoa doe sangue pelo menos duas vezes ao ano. Homens podem doar sangue a cada 60 dias e no período de 12 meses até quatro doações e mulheres em um intervalo de 90 dias e no período de 12 meses até três doações.

Para ser doador é preciso: estar em boas condições de saúde; ter entre 16 e 69 anos completos (menores de idade com autorização e presença do responsável legal); pesar no mínimo 51Kg na balança do Hemepar; estar descansado, alimentado e hidratado (evitar alimentação gordurosa nas 4 horas que antecedem a doação); apresentar documento oficial com foto. Vívian ressalta que os doadores devem agendar a doação como forma de evitar filas e otimizar o estoque, sem que haja mais doações de um tipo sanguíneo e menos de outro. O agendamento pode ser feito via link https://www.saude.pr.gov.br/Pagina/Doacao-de-Sangue ou em uma das unidades da Rede localizada em Curitiba, Hemepar Curitiba - Travessa João Prosdócimo, 145 – Telefone: (41) 3281-4000 ou Biobanco - Rua Agostinho de Leão Junior, 108, Alto da Glória – Telefone: (41) 3360-1875.

O Hemepar também está aberto para realização parcerias com igrejas, empresas ou com o poder público, bastando entrar em contato.

Caravana de Campo Largo
Na última sexta-feira de junho, dia 28, acontecerá mais uma Caravana de Doação de Sangue. Nesta data a Prefeitura de Campo Largo disponibilizará uma van para levar o grupo. Os interessados devem se inscrever até o dia 20 de junho, pelo telefone 0800 643 1312.