Sabado às 15 de Junho de 2024 às 07:45:05
Saúde

No Dia Mundial do Tabaco, Secretaria de Estado da Saúde reforça malefícios do tabagismo

Criada originalmente em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a data tem como objetivo alertar a população sobre os danos causados pelo uso do tabaco e seus derivados.

No Dia Mundial do Tabaco, Secretaria de Estado da Saúde reforça malefícios do tabagismo

No Dia Mundial Sem Tabaco, celebrado nesta quinta-feira, (31), a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) reforça os malefícios que o tabagismo pode causar, sendo considerado uma doença crônica. Criada originalmente em 1987 pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a data tem como objetivo alertar a população sobre os danos causados pelo uso do tabaco e seus derivados. Este ano, a campanha recebe o tema "Proteção das crianças contra a interferência da indústria do tabaco" e pretende alertar os governos e formadores de opinião sobre as estratégias adotadas pela indústria do tabaco para atrair novos consumidores, notadamente crianças, adolescentes e jovens. De acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde do Escolar, no Brasil, 21% dos estudantes matriculados no 9º ano já experimentaram cigarro alguma vez na vida.

Uma das principais estratégias do Estado para diminuir o uso do tabaco está no Programa Estadual para Controle do Tabagismo, que visa reduzir a prevalência de fumantes e a mortalidade decorrente do consumo de produtos derivados. As ações englobam capacitações, comunicação ativa, ações educativas junto à população, prevenção da iniciação do tabagismo, proteção acerca do tabagismo passivo, entre outras.

Ainda, o programa facilita o acesso de adesivos de nicotina, cloridrato de bupropiona e goma de nicotina para pacientes que necessitam de medicamentos no tratamento da dependência. Desde 2020, mais de 3,4 milhões de unidades foram distribuídas. O programa está disponível em 969 estabelecimentos de saúde em 291 municípios.

Estima-se que o tabagismo seja responsável por mais de oito milhões de mortes anuais no mundo, tendo também impactos ecológicos e nas mudanças climáticas, influenciando o futuro da agricultura e da segurança alimentar. A OMS também aponta que a expectativa de vida de pessoas que fazem uso recorrente de cigarros pode ser de até dez anos a menos do que não fumantes.

"O tabagismo é uma doença séria que gera enfermidades graves e, em muitos casos, até mesmo o óbito. No entanto, é uma condição completamente evitável, a partir da conscientização. Essa é uma data importante para reflexão e promoção da saúde coletiva" afirmou o secretário de Estado da Saúde, Beto Preto.