VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Quarta-feira | 21 de Outubro de 2020 13:03
Quarta-feira | 21 de Outubro de 2020 13:03
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Sal, açúcar e ingredientes do dia-a-dia 06/08/2015


Por: Ana Lúcia

06/08/2015

Alguns ingredientes são tão presentes no cardápio diário que passam despercebidos. O hábito de colocar umas pitadas de sal a mais na comida, duas “colherinhas” de açúcar no café ou caprichar nos temperos industrializados para garantir um sabor extra às receitas pode, com o tempo, causar problemas como hipertensão, diabetes e obesidade.

Para garantir a saúde, o importante é consumir os ingredientes do dia-a-dia na medida certa. Sempre que possível, é importante substituir produtos industrializados por naturais. Quanto menos componentes artificiais mais saudável será a alimentação

Sal
Já foi largamente utilizado para preservar alimentos perecíveis quando ainda não existia geladeira. Hoje, ainda é muito usado em alimentos industrializados, tais como: embutidos (salames, lingüiças, salsichas), carnes salgadas, enlatados, conservas como picles, molhos e condimentados (mostardas, molhos a base de soja, pimenta, ketchup), queijos amarelos, sopas e temperos do tipo concentrados em cubinhos.

É grande fonte de sódio – mineral indispensável para o organismo, presente em boa parte dos alimentos. Vale lembrar que sódio e sal não são sinônimos, como muitos acreditam. O sódio é um dos componentes do sal.

Nos rótulos, é apresentada a quantidade de sódio e não de sal, o que merece uma atenção a mais do consumidor. Cada cinco gramas de sal – o equivalente a cerca de meia colher de sopa – contêm aproximadamente dois gramas de sódio. A quantidade diária recomendada para o consumo é de quatro a seis gramas de sal.                                             

O sal é necessário porque ajuda a manter em equilíbrio os fluídos do organismo, além de realizar a transmissão dos impulsos nervosos.

Pontos negativos
O consumo de sal é importante, mas sem exagero – principalmente quando responsável por alterações da pressão sanguínea (que depende de fatores físicos e genéticos), como a hipertensão.

Outro mineral presente no sal, o iodo é um micronutriente essencial para o ser humano. Ele é utilizado na síntese dos hormônios tireoidianos – produzidos pela tireoide, glândula que se localiza na base frontal do pescoço –, a triiodotironina e a tiroxina.

Esses hormônios têm dois importantes papéis:

•Ação no crescimento físico e neurológico.

•Manutenção do fluxo normal de energia (metabolismo basal, principalmente na manutenção do calor do corpo).

Se consumido em quantidades excessivas, o iodo pode causar uma doença conhecida como tireoidite de Hashimoto (em pessoas com predisposição genética a doenças auto-imunes). Para prevenir o problema a Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa) reduziu a quantidade máxima de iodo permitida no sal.

Açúcar
Fonte de energia, esse carboidrato simples é encontrado nos alimentos in natura, como frutas e leite. Entretanto, as fontes mais abundantes são os produtos industrializados, entre os quais biscoitos, chocolates, balas e refrigerantes.

A recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS) é de que o consumo do açúcar não ultrapasse 10% das calorias na dieta. Por exemplo: um adulto que consome 2500 calorias por dia não deve ultrapassar 250 cal/dia de açúcar. Cada grama do carboidrato contém quatro calorias; logo, o consumo de açúcar deveria ser no máximo de 62,5g que corresponde, em medidas caseiras, a cerca de ½ xícara de chá de açúcar refinado.                                                                                                                                     

Contém substâncias que estimulam o cérebro a produzir serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de bem-estar e prazer.

Pontos negativos
Rico em calorias e pobre em nutrientes, motivos pelos quais devemos restringir ainda mais seu consumo. O excesso é a causa de uma série de problemas, muito além das cáries. A obesidade já é considerada uma questão de saúde pública, tamanha a quantidade de pessoas que sofrem da doença.

O índice de crianças e adolescentes obesos aumentou 240% no Brasil nos últimos 20 anos. Segundo uma pesquisa realizada pela Força Tarefa Latino-Americana de Obesidade (entidade que reúne as principais sociedades de combate ao excesso de peso na região), hoje há 70 milhões de pessoas acima do peso na América Latina. O problema é causado, entre outras coisas, pelo excesso de preparações e alimentos gordurosos, o consumo excessivo de doces e refrigerantes.

Outro ponto negativo é a sobrecarga no pâncreas para produção de insulina (o pâncreas é órgão responsável pela produção de insulina), que mantém os níveis de glicose controlados no sangue. Essa deficiência pode levar ao diabetes tipo 2.

O aumento do nível de triglicérides também é um ponto negativo a ser considerado, pois o consumo exagerado do açúcar pode contribuir na elevação no nível de triglicérides, gordura perigosa, que ao se acumular pode obstruir as artérias. O resultado pode ser a maior chance de desenvolver doenças cardiovasculares.
 

1748 visitas






Sua Opinião





Últimas Notícias