VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Terça-feira | 20 de Outubro de 2020 17:07
Terça-feira | 20 de Outubro de 2020 17:07
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Leitora relata reação parecida com uso de drogas após uso de composto natural para emagrecer

Uso de remédios sem prescrição e controle de entidades regulatórias já provocaram mortes e internações hospitalares por quadros de arritmias, desidratação e surtos psicóticos.

Por: Caroline Paulart

Uma leitora da Folha de Campo Largo entrou em contato para relatar uma situação e colocar em alerta também outras pessoas. Ela explicou ter comprado um produto que é um composto que se diz natural para ajudar no emagrecimento, acelerar o metabolismo, eliminar gordura localizada e que faz perder até 5Kg em 30 dias. Mas, após começar a usar, chegou a parar no Pronto Socorro, com sintomas como de usar drogas fortes, taquicardia e disse ter achado que iria morrer. Após o episódio, ainda ficou um tempo com falta de concentração. Para mais informações sobre o assunto, a Folha conversou com um especialista em emagrecimento.

Dr. André Fuck, endocrinologista, comentou que principalmente nesta época do ano aumenta muito a procura por métodos e fórmulas milagrosas para emagrecer. “Não bastasse isso, o culto à imagem, típico de nossa cultura e estimulado pela exposição nas redes sociais, faz com que as pessoas que estejam insatisfeitas com seu peso tentem, a qualquer custo, uma maneira rápida e prática de perder peso. Nesse contexto, surgem cada vez mais produtos, compostos de fórmulas e substâncias ditas naturais, na maioria das vezes vendidos diretamente pela internet, com o apelo de que dão resultado em pouco tempo e sem risco à saúde”.

O especialista enfatiza que não existe nenhum acompanhamento médico, farmacêutico ou de entidades regulatórias como a Anvisa na comercialização e no uso de substâncias como essas. “Geralmente é utilizado o termo natural para passar a ideia de algo inofensivo, quando na verdade muitas fórmulas são feitas por uma série de substâncias químicas perigosas (algumas proibidas) que nem aparecem no rótulo. Muitas dessas já comprovadamente provocaram mortes e internações hospitalares por quadros de arritmias, desidratação e surtos psicóticos, por exemplo”, esclarece.

Em casos como esse, os fabricantes utilizam fotos de antes e depois, prática proibida pelo CRM, e de famosos que já utilizaram ou fazendo propaganda. A maioria tem nomes apelativos, com promessas milagrosas (solução definitiva para perda de peso, queima de gordura abdominal, acelerador do metabolismo) e com tática agressiva de venda (único no mercado, fórmula inovadora, últimas unidades).

Segundo ele, esses compostos não dão o resultado prometido - acelerando o metabolismo, aumentando a energia e a disposição, sumindo com as celulites e rejuvenescendo a pele, entre outras promessas milagrosas. “O que acredito é que a grande motivação das pessoas que consomem estes produtos é a de perder um pouco de peso de maneira rápida e com pouco esforço, mas essas substâncias são sim perigosas para serem consumidas por conta própria e, além de não levarem a uma perda de peso sadia e eficaz, colocam em risco a saúde de quem consome”. Ainda conclui que o emagrecimento de forma saudável precisa de acompanhamento médico, de nutricionista e de educador físico, sendo avaliado o perfil individual de cada pessoa e suas necessidades.

 

7541 visitas






Sua Opinião



  • Por Marleth - 02 Fevereiro 2020 | 15h10min

    A leitora pode ter comprado sem saber os medicamentos "naturais" de uma quadrilha aqui da região que mistura remédios tarja preta no composto para emagrecer. Eram tantas drogas misturadas (para depressão, ansiedade, etc) que o efeito era semelhante ao de drogas ilegais. A prisão da quadrilha foi divulgada na imprensa.



Últimas Notícias