VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Quarta-feira | 21 de Outubro de 2020 13:55
Quarta-feira | 21 de Outubro de 2020 13:55
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Amaranto 17/12/2015


Por: Ana Lúcia

17/12/2015

Esta planta é originária dos Andes e já era cultivada pela civilização Inca e Asteca há mais de 2000 anos. O amaranto é considerado um cereal rico em nutrientes, apresenta alto teor de amido podendo ser consumido como fonte de carboidrato, assim como outros alimentos - trigo, milho e arroz. O amaranto possui de 12 a 17% de proteínas, tem um perfil de aminoácidos balanceado e é rico no aa. lisina.

Os grãos são ricos em fibras e possuem gorduras saudáveis, como o ácido linoleico, que é tido como uma gordura saudável uma vez que seu consumo está relacionado a menores taxas de doenças cardíacas.

O amaranto apresenta ainda tocoferóis, antioxidantes semelhantes a vitamina E, importantes na prevenção do envelhecimento precoce e da morte celular, uma vez que este composto inibe a ação de radicais livres. Além disso, contém mais cálcio, ferro e fósforo do que os cereais comuns (centeio, arroz, trigo e etc.) e apresenta quantidade pequena de fitatos e oxalatos (fatores antinutricionais que inibem a absorção de nutrientes).

Este cereal é isento de glúten, podendo ser uma ótima opção para indivíduos celíacos (possuem alergia ao glúten). A farinha de amaranto possui alto valor nutritivo de proteínas e faz com que o grão de amaranto seja aplicável, tanto na fortificação de farinhas de trigo, milho e tubérculos, como na elaboração de produtos isentos de glúten como bolos, tortas e pães.

Assim como a quinoa, a farinha integral de amaranto apresenta um alto valor calórico (413,8kcal/100g), este é mais alto do que outros cereais conhecidos, porém não devemos olhar somente as calorias oferecidas e sim a qualidade da farinha. Outra propriedade importante, que distingue a farinha de amaranto da de outros grãos é a de não perder a sua característica de alto teor protéico, de boa qualidade após o refino, fenômeno de comum ocorrência com os outros cereais.

Estudos relataram que o amaranto produz efeitos benéficos na redução dos níveis de lípidios séricos através da inibição da HMG-CoA redutase, enzima presente no fígado que regula a biossíntese de colesterol.

O amaranto pode ser consumido tanto como grão inteiro, como farinha integral, ou em combinação com outros cereais ou tubérculos.
 

1007 visitas






Sua Opinião





Últimas Notícias