VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Domingo | 25 de Outubro de 2020 16:19
Domingo | 25 de Outubro de 2020 16:19
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Propina justifica alto valor de pedágio e cidadão é quem paga

Não é de hoje a indignação quanto ao valor do pedágio cobrado no Paraná. Apesar de vermos sempre obras acontecendo e boa conservação das estradas, o cidadão reclama do preço abusivo cobrado

Por: Redação
Não é de hoje a indignação quanto ao valor do pedágio cobrado no Paraná. Apesar de vermos sempre obras acontecendo e boa conservação das estradas, o cidadão reclama do preço abusivo cobrado. Em Santa Catarina o valor é bem inferior e serve de comparação ao que se gasta para viajar para o interior do Paraná, por exemplo. Uma simples viagem de Campo Largo a Ponta Grossa já é um alto valor para um curto trecho.
Mas a força-tarefa Lava Jato do Ministério Público Federal no Paraná trouxe a verdade sobre o que está embutido neste valor do pedágio que pagamos e o encarece tanto. A Rodonorte está envolvida – e admitiu – em atos de corrupção e lavagem de dinheiro relacionado ao seu contrato de concessão, o que envolve o Governo do Estado, o Departamento de Estradas e Rodagem do Paraná, Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), o Ministério dos Transportes. A propina era para receber benefícios no contrato.
Pelas infrações, a multa que a concessionária pagará é de R$ 750 milhões, sendo deste valor R$ 350 milhões que serão destinados para reduzir em 30% a tarifa dos usuários das praças de pedágio da Rodonorte e R$ 365 milhões para a execução de obras nas rodovias.
É a primeira vez que se vê algo concreto em relação às investigações à concessionária de pedágio no Paraná e de acordo com declaração do MPF foram 20 anos de vigência do contrato sem vontade política para resolver, devido a essa corrupção sistêmica. Entra governo e sai governo, vira promessa de que vai reduzir o pedágio, mas a corrupção está tão enraizada que fazem vistas grossas a tudo que acontece. A concessionária afirmou que as propinas vêm desde 2000, ano em que era governador do Paraná Jaime Lerner (1999 a 2003) e seguiu com Roberto Requião por dois mandados, Orlando Pessuti, Beto Richa por dois Mandados e Cida Borghetti. A propina passa a ser a regra do jogo, assim como declarado pelo próprio MPF e como vemos em diversos esquemas corruptos anunciados, mudam apenas os personagens.
Esse é mais um avanço da Operação Lava Jato, pois a partir destas investigações outros esquemas criminosos vêm à tona, devido aos depoimentos e ligações que são feitas nos esquemas. Mantêm-se, assim, a esperança de que o País tenha um novo rumo, de que a corrupção não seja regra, que chegue um dia que os políticos tenham coragem de também fazer diferente, de não se corromperem para exercerem esse papel para qual foram eleitos. Até por isso hoje gastam milhões e milhões em uma campanha para se eleger, mas o salário de quatro anos não chega nem perto do que gastam. No mínimo estranho. Mas é porque a maioria deles sabe o quanto vão se beneficiar nos contratos que vão firmar, que para beneficiar uma ou outra empresa muito dinheiro vai rolar. Uma triste realidade que está na hora de acabar para vermos nosso dinheiro sendo bem empregado.
A manutenção das estradas no País deveria ser do Governo, mas até se paga porque hoje para ver algo funcionando tem que ser privado, mas aí pagar caro porque nisso tudo está embutida a corrupção, aí o povo não aguenta mais. Não é justo! Está na hora de mudar! Somos muito gratos ao trabalho prestado pelo Ministério Público Federal e que assim continue.
11074 visitas






Sua Opinião