VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Sábado | 24 de Outubro de 2020 05:38
Sábado | 24 de Outubro de 2020 05:38
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

O trabalho dignifica o homem em todos os sentidos

Nesta quarta-feira (01) foi comemorado o Dia do Trabalho, uma data importante do calendário brasileiro

Por: Redação
Nesta quarta-feira (01) foi comemorado o Dia do Trabalho, uma data importante do calendário brasileiro. Neste ano, os trabalhadores campo-larguenses ganharam uma grande festa da Prefeitura de Campo Largo, que envolveu toda a família, com brinquedos gratuitos para as crianças, feira sobre cursos, estágios e vagas de emprego, além de atrações culturais. Centenas de pessoas compareceram durante todo o dia no evento, mas além de comemorar, o Dia do Trabalho também é momento de reflexão.
São milhões de desempregados no país, que encontram dificuldade de se recolocar no mercado de trabalho. São pessoas que têm famílias que dependem delas, e que precisam colocar na mesa o pão de cada dia. Só quem já esteve em contato com uma pessoa desempregada, com contas a vencer e sem saber qual será a sua próxima refeição é capaz de conhecer o sofrimento e a sensação de impotência.
Desde os primórdios da civilização, independente se você é criacionista ou evolucionista, o trabalho é visto como edificador. Por meio dele, pessoas avançaram, construíram cidades, empresas e toda a tecnologia que encontramos disponíveis hoje. “O trabalho dignifica o homem”, quem nunca ouviu essa famosa frase? Estamos sempre trabalhando, buscando ferramentas e soluções para problemas e demandas que a própria sociedade apresenta. Isso em todas as situações e setores.
Por isso, deve-se valorizar o trabalho, ter um emprego, e dedicar-se a ele com afinco e intenção de crescimento. Você faz, sim, a diferença no mundo, e seu trabalho é importante, ainda que outros digam que não. Dos pequenos aos grandes, todos aqueles que desempenham seus papéis de forma honesta são dignos desta data especial.
Por ser tão importante, o trabalhador também deve ser conhecedor das legislações trabalhistas, tendo plena ciência dos seus deveres e direitos. Também deve se informar por fontes seguras sobre todas as mudanças que têm sido tomadas, desde a Reforma Trabalhista, Reforma da Previdência e tantas medidas provisórias que vêm sendo apresentadas nos departamentos políticos. É você, somente você, quem pode formar sua própria opinião, com base nos seus conhecimentos e visão de mundo. É lógico que a busca pelo conhecimento deve ser algo incessante, para que você cresça ainda mais, não somente como trabalhador, mas também como ser humano. Não é feio mudar de opinião, mas é feio permanecer no desentendimento e na desinformação.
É muito difícil ter um conselho para alguém que está há muito tempo buscando uma recolocação, ou muitas vezes já está com o sentimento de desesperança em ver a carteira assinada novamente, porém, persevere, lute e se reinvente. Muitas vezes a saída está em algo que você faz com maestria, que todos precisam mas ainda ninguém descobriu ou tem a sua habilidade. Cada um tem um talento, um dom para alguma coisa, que faz bem e que ama. Quando faz algo com gosto e com o coração, o trabalho flui naturalmente.
11337 visitas






Sua Opinião



  • Por Divonei - 09 Maio 2019 | 21h13min

    O trabalho dignifica o homem... isso é a maior bobagem, é a alienação das massas. A dignidade é inata ao ser humana. Frase de efeito para controlar o trabalhador e fazê-lo dar a vida no chão de fábrica.

    Onde está a dignidade do funcionário que dá seu melhor pela empresa, e a empresa vive do artifício da recuperação judicial, para protelar o pagamento de seus ex-funcionários. E a miséria que deve ser a vida de um pai de família que ganha seus R$ 1200,00 no chão de fábrica, onde está a dignidade nisso?

    Nos momentos de desespero, como é o caso atual do Brasil, é quando aflora a falta da dignidade, alguém leu a respeito dos trabalhadores que receberam R$ 50,00 por uma jornada de 12 horas de trabalhos.

    O desespero que o desemprego causa, traz consigo a falta da dignidade, o cidadão de papel se obriga a aceitar situações insustentáveis para não passar fome, não vejo dignidade nisso.

    Peço perdão ao cidadão que escreveu isso, tenho a impressão de o fez de bom coração, não o crítico, mas sim esta frase hedionda que se propaga e ilude o trabalhador.