VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Segunda-feira | 19 de Outubro de 2020 12:11
Segunda-feira | 19 de Outubro de 2020 12:11
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Primavera chega em meio ao frio e terá chuvas irregulares no Paraná

Para a estação, estão previstos períodos prolongados sem chuva semelhantes aos ocorridos no outono e no inverno deste ano, com aumento progressivo de chuvas e com volumes próximos ou abaixo do normal climatológico e com distribuição espacial irregular em todo o Paraná

Por: Redação

A Primavera 2020 chegou nesta terça-feira (22), pontualmente às 10h31, a uma temperatura em Campo Largo que pode variar entre 10°C a 16°C. A estação acaba somente no dia 21 de dezembro, às 07h02, quando chegará o Verão de 2020. Neste ano, a presença do fenômeno La Niña - que provoca o resfriamento das águas do Oceano Pacífico Equatorial, alterando os padrões climáticos - irá gerar interferências no clima de maneira geral; esse fenômeno será o principal sistema climático na primavera do Hemisfério Sul, com intensidade variando de fraca a moderada, especialmente reduzindo as condições para chuva em toda a região Sul do Brasil, deixando o ar ainda mais seco.

Este é um fator preocupante, visto que o Paraná vive hoje a pior crise hídrica da sua história. Por isso, o Simepar mantém o seu monitoramento em tempo real das condições das 200 bacias hidrográficas paranaenses, por meio de uma rede telemétrica de 120 estações, antenas de recepção de uma constelação de satélites e três radares instalados em Teixeira Soares, Cascavel e Curitiba.

Assim, conforme informou a matéria da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Paraná (Sema), são esperados períodos prolongados sem chuva semelhantes aos ocorridos no outono e no inverno deste ano, com aumento progressivo de chuvas e com volumes próximos ou abaixo do normal climatológico e com distribuição espacial irregular em todo o Paraná.

 

Como são as primaveras paranaenses

Historicamente, durante a Primavera paranaense é observado um aumento natural na quantidade de eventos e no volume das chuvas, que são causados pela passagem de sistemas frontais (frentes frias ou quentes) e de outras formas de instabilidade de curta duração que se desenvolvem no Estado em função das temperaturas altas e da maior quantidade de umidade no ar.

Ainda segundo o boletim do Simepar, por ser considerada uma estação de transição entre os regimes climáticos do inverno e do verão, a primavera favorece a ocorrência de eventos meteorológicos severos como rajadas de ventos fortes, granizos e grande quantidade de raios. A previsibilidade da ocorrência e da intensidade desses eventos severos é muito difícil de ser realizada com grande antecedência. Dessa forma, o monitoramento sistemático da situação meteorológica na área do Paraná e seus arredores e a emissão de alertas de curto prazo. Para receberem alertas por SMS, os interessados podem cadastrar-se na Defesa Civil Estadual enviando uma mensagem para o número 40199 com o número do seu CEP (Código de Endereçamento Postal).

Tradicionalmente, no início da Primavera as temperaturas apresentam maior amplitude térmica – a diferença entre os valores mínimos e máximos diários –, a qual tende a diminuir com a aproximação do verão. A temperatura média do ar deve manter-se próxima ou ligeiramente acima da normal climatológica. Estão previstas grandes variações em períodos curtos, causadas pelo rápido deslocamento de frentes frias e tempestades intensas, características da estação no Estado.

 

Agricultura em alerta

Por conta da previsão contínua de escassez de água, como o que aconteceu no outono e inverno, a agricultura se mantêm alerta. “O produtor rural está sendo muito afetado pela falta de água, sendo que alguns inclusive chegaram a deixar de plantar alguns legumes pela falta da água. Sem a chuva e sem o investimento em uma irrigação permanente, como há muitos anos instruímos o produtor rural, a produção fica prejudicada, a qualidade do produto não é o mesmo e o preço dispara”, explica Hugo Ruthes, do Sindicato Rural de Campo Largo.

Como estratégia, de acordo com matéria divulgada pela Sema, com informações do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná, recomenda escalonar a semeadura em talhões com cultivares de ciclos diferentes. Também sugere começar a semeadura no período adequado, não utilizar população de plantas superior à indicada, plantar sementes de boa qualidade e cultivares adaptadas à região, mantendo o equilíbrio nutricional das plantas.

Além disso, os agricultores devem manter um planejamento agrícola com a tecnologia da rotação de cultura com plantas de cobertura em sistema de plantio direto, o que pode melhorar os atributos físico-químicos do solo, aumentando a infiltração de água e aprofunda as raízes, além de reduzir a temperatura e a evaporação em períodos de estiagem fraca ou moderada.

 

Incêndios

Também são realizados monitoramentos de incêndios, queimadas e focos de calor por meio do sistema VFogo, do Simepar, capaz de detectar ocorrências em grandes extensões territoriais e áreas específicas. É possível identificar o momento e o local em que o evento teve início, sua evolução, propagação, direção, sentido, intensidade e extinção, bem como o tipo de vegetação - floresta, arbustos, pastagem e agricultura. Os dados são atualizados a cada dez minutos.

 

457 visitas






Sua Opinião





Últimas Notícias