Domingo | 05 de Dezembro de 2021 17:08
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Nariz Solidário entregará jogos para ressignificação de elementos hospitalares no HIWM nesta sexta (15)

Antes da pandemia, elementos de cuidados com a saúde eram vistos com maior frequência apenas em ambientes hospitalares.

Antes da pandemia, elementos de cuidados com a saúde eram vistos com maior frequência apenas em ambientes hospitalares. Porém, hoje, instrumentos e EPIs como termômetros, máscaras, seringas e estetoscópios se tornaram cada vez mais comuns no cotidiano da sociedade.

Pensando em trazer leveza para estes momentos tão delicados, a ONG Nariz Solidário, que tem sede em Curitiba e atua na capital e região metropolitana, desenvolveu um jogo único e inédito, recriando esses elementos hospitalares com um tom lúdico e o que eles chamam de “palhacístico”.

Entre as ações de distribuição, em comemoração ao Dia das Crianças, exemplares do jogo serão entregues gratuitamente no dia 15 de outubro aos pacientes do Hospital Infantil Waldemar Monastier, em Campo Largo.

Como o jogo nasceu?
Durante a execução de um dos projetos da ONG, o “De Nariz para Nariz”, foi dado vida a diversos elementos do contexto hospitalar. As criações foram transportadas para as redes sociais da associação, para cartazes, canecas e várias outras frentes em que o projeto está atuando durante a pandemia.

“No entanto, sentimos que ainda faltava algo. Foi quando em uma de nossas parcerias com o Projeto Comunitário da Pontifícia Universidade Católica(PUC-PR) recebemos um aluno voluntário que nos ajudou a pensar no jogo e a desenvolvê-lo. Começamos a idealizá-lo para o Dia das Crianças. Contatamos um de nossos parceiros, a Intercity Hotels, que achou a ideia incrível e nos ajudou a realizá-la, viabilizando cerca de 1500 jogos para serem entregues a crianças em 12 estados e 20 cidades”, explica Eduardo Roosevelt, diretor da Associação Nariz Solidário e cocriador do jogo.

Uma das cidades escolhidas foi Campo Largo, especificamente o Hospital Infantil Waldemar Monastier, que é um parceiro que caminha com o Nariz Solidário há muito tempo, onde serão entregues cerca de 200 jogos às crianças hospitalizadas. Além disso, exemplares serão deixados com a equipe de terapia ocupacional do hospital, para serem trabalhados com pacientes em contextos hospitalares variados.

A Ong não parou mesmo com a pandemia
“Quando a pandemia começou, tivemos que criar diversas soluções inovadoras, para garantir que a arte e a figura do palhaço pudessem continuar auxiliando no processo de humanização do ambiente hospitalar”, pontua Eduardo.

Dentre as diversas ações criadas pela ONG em tempos de pandemia houve a criação de vídeos feitos por seus palhaços e palhaças, que foram entregues durante todo esse período ao Hospital Infantil. Foi assim que surgiu a ideia de também recriar alguns objetos comuns em ambientes de atenção à saúde, trazendo para eles a percepção e a lógica do palhaço.

A Associação Nariz Solidário existe desde 2014 e já impactou mais de 70 mil pessoas, atuando em frentes de promoção ao voluntariado, à arte, à cultura, à articulação em rede, no desenvolvimento de artistas, na realização de oficinas de empatia, de encontros nacionais para desenvolvimento de lideranças de grupos parceiros e na criação de diversos eventos.
Para conhecer mais sobre a Ong acesse www.narizsolidario.org/apoie e siga nas redes sociais Facebook e Instagram @narizsolidario.