VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Quarta-feira | 21 de Outubro de 2020 16:10
Quarta-feira | 21 de Outubro de 2020 16:10
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Moradores do Razera preocupados com entulho e vazamento de água

Com a mudança de aproximadamente 70 famílias para os condomínios habitacionais novos, moradores do Razera, na região da Vila Elizabeth, agora estão preocupados com o vazamento de ág

Por: Caroline Paulart

Com a mudança de aproximadamente 70 famílias para os condomínios habitacionais novos, moradores do Razera, na região da Vila Elizabeth, agora estão preocupados com o vazamento de água, que iniciou assim que as máquinas começaram a derrubar as antigas residências e também o entulho deixado, que vem afetando o trânsito de pessoas da região.

“Isso acontece desde o dia 24 de agosto. Já chamamos a Sanepar, e nesta segunda-feira alguns técnicos, acredito, estavam analisando, mas não foi possível ver se foi arrumado alguma coisa. Os tratores vieram aqui e derrubaram tudo, sem se preocupar com nada de encanamento e tubulações existentes. Agora está acumulando muita água próximo da minha casa, o medo é que as pessoas comecem a ficar doentes por conta disso”, relata um morador.
Outra preocupação é quanto ao lixo que ficou depois da derrubada das casas, que acabou afetando até mesmo a locomoção dos moradores que ainda estão na região.

A Folha procurou a Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente, Plano de Recuperação de Área Degradada, que engloba toda a limpeza e recuperação de área ambiental. O volume de resíduo de construção civil extrapolou o que a Prefeitura havia previsto na demolição, então será necessário contratar uma empresa para conseguir realizar o serviço, visto que a Prefeitura não possui uma equipe licenciada para efetuar o transporte para uma área licenciada. O lixo é considerado contaminado, pois está em contato com o esgoto das casas derrubadas e misturado com vários materiais (plástico, amianto, barro, ferro e outros).

As madeiras estão sendo recolhidas, pois há uma empresa para fazer a destinação, que são queimadas, especialmente em olarias, assim como é feito com o material verde. “Esse é um processo longo, não temos como precisar o término de quando essa área será completamente limpa. O segundo passo é a preparação do solo para se regenerar e poder realizar o plantio de árvores e recuperar o rio que passa na região, que inclusive possui três nascentes”, diz Juarez Carvalho, secretário adjunto da pasta.  A Sanepar aguarda que a Prefeitura faça a limpeza e tire os entulhos do local para poder retirar as tubulações.

A Sanepar respondeu por meio da assessoria de comunicação que aguarda que a Prefeitura faça a limpeza e tire os entulhos do local para poder retirar as tubulações e disse que existe uma torneira comunitária que continua fornecendo água para seis famílias que ainda moram no local. A Sanepar está em contato com a Prefeitura para que seja feito o serviço.

885 visitas






Sua Opinião