VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Terça-feira | 20 de Outubro de 2020 05:37
Terça-feira | 20 de Outubro de 2020 05:37
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Fiéis acompanham online celebração à padroeira

A festa da padroeira celebrada pelo Padre Agnaldo na Paróquia Nossa Senhora Aparecida nesta segunda-feira (12) foi acompanhada pelas redes sociais por mais de duas mil pessoas, além de algumas que tiveram a oportunidade de participar presencialmente.

Por: Danielli Artigas de Oliveira

A festa da padroeira celebrada pelo Padre Agnaldo na Paróquia Nossa Senhora Aparecida nesta segunda-feira (12) foi acompanhada pelas redes sociais por mais de duas mil pessoas, além de algumas que tiveram a oportunidade de participar presencialmente.

“Maria tem uma função importantíssima na história da salvação. Tanto carinho e tanto amor que Ela tem por nós”, declarou. Padre Aguinaldo ainda destacou para pedirmos perdão a Jesus pelas vezes que esquecemos do valor que tem essa mãe e que esse momento serve para honrar o mandamento: honra teu pai e tua mãe. “Estamos aqui para honrar Maria”, acrescentou.

A imagem, que saiu da comunidade São Vicente e foi até a Paróquia, foi recebida com festa pelos fiéis durante a Missa. Na paróquia também foi entregue o almoço festivo que foi vendido antecipadamente.

Também foi transmitida online a Novena de Nossa Senhora Aparecida. No último dia, a mensagem de que Jesus ensina a buscar e a viver o amor, a nos amar e amar os irmãos e irmãs. Padre Agnaldo falou sobre a festa da padroeira do Brasil, chamada de Aparecida porque apareceu nas águas com uma imagem humilde na curva do Rio Paraíba e daquela água veio junto o milagre. A festa que nesta segunda-feira se celebra traz a confiança e fé em Maria. Ele detalhou sobre o Evangelho que fala das festas e disse que a vida é uma festa, apesar dos sofrimentos. “Na palavra de Deus festa é um relacionamento profundo, um encontro que acontece, é comunhão, celebração”, frisou.

A imagem

O site Vatican News relembrou a história da imagem. Em outubro de 1717, o Conde de Assumar, então Governador do Brasil, foi em visita a Guaratinguetá. Visto que aqueles eram dias de abstinência de carne, Felipe Pedroso, Domingos Martins Garcia e João Alves foram encarregados de procurar outro tipo de alimento para o ilustre visitante e sua comitiva.

Após algumas tentativas decepcionantes, os pescadores encontraram uma imagem de terracota, representando a figura da Imaculada Conceição. Ela foi pescada em duas vezes: na primeira, acharam o corpo e, na segunda, a cabeça. O fato ocorreu no Porto de Itaguaçu. Como nos relatos bíblicos, a pesca sucessiva foi extremamente abundante.

Os piedosos pescadores e seus familiares iam rezar, todas as noites, diante da imagem da Virgem Imaculada na casa de Felipe Pedroso. Mais tarde, este construiu um pequeno oratório onde colocou a imagem aparecida. Todos os sábados, os vizinhos e as pessoas que sabiam do fato, se reuniam para rezar o Terço. A partir disso, começaram a ocorrer milagres e o povo começou a chamar a imagem de Nossa Senhora Aparecida.

Em 1745 foi inaugurada a primeira capela; com o passar do tempo, em 1842, foi iniciada a construção de um templo, inaugurado em 8 de dezembro de 1888 e, em 1893, elevado a Santuário de Nossa Senhora da Conceição Aparecida.

Em 1904, deu-se a coroação solene da imagem, a pedido do Papa São Pio X; em 1930, Pio XI a declarou e proclamou “Rainha e Padroeira do Brasil”.

Em 1967, o Papa Paulo VI ofereceu a “Rosa de Ouro” à Basílica de Aparecida, por ocasião dos 250 anos do aparecimento da imagem.

A atual Basílica Nacional foi inaugurada, solenemente, em 1980, pelo Papa São João Paulo II.


 

662 visitas






Sua Opinião





Últimas Notícias