Domingo | 05 de Dezembro de 2021 18:35
EM CAMPO LARGO 16º | 20º  
Geral

Cancela aberta: estradas temporariamente sem pedágio a partir de 28 de novembro

Manutenção das rodovias será de responsabilidade do Governo e até leilão acontecer não haverá cobrança de pedágio

O contrato de concessão das rodovias estaduais com a CCR RodoNorte termina no dia 27 de novembro. O leilão para dar início a um novo contrato acontece apenas no segundo trimestre do ano que vem e a assinatura do contrato, em novo formato, deve acontecer apenas no final de 2022.

Até lá, a manutenção das rodovias estaduais do atual Anel de Integração será de responsabilidade do Governo do Paraná, enquanto as rodovias federais serão de administração do governo federal.
Em conversa com a assessoria do Governo, a Folha foi informada que o novo projeto que está sendo construído é muito ambicioso e vai gerar muitos empregos. “São 1,8 mil km só de duplicações, mais de 1000 obras como trevos e pontes. A ideia é que seja mais moderno e eficiente, inclusive gerando mais empregos”. O objetivo do novo modelo de licitação de rodovias no

Paraná é trazer mais agilidade e eficiência na prestação de serviços, assim como uma menor tarifa aos usuários e a garantia de um pacote de obras em 3,3 mil quilômetros de rodovias (estaduais e federais).

Com relação às rodovias paranaenses, o Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR) está realizando uma licitação para contratar empresas que possam realizar essa manutenção. “A iniciativa visa garantir a boa condição do pavimento das estradas entre o atual programa de concessões rodoviárias até o início do novo programa federal. Atualmente, o processo está em fase de avaliação de propostas para as obras de conservação do Anel de Integração, que estão divididas em cinco lotes. Estão contemplados no edital 964,52 quilômetros de rodovias. A licitação prevê que a empresa vencedora da licitação preste serviços de conservação do pavimento (remendos superficiais e profundos, reperfilagem e microrrevestimento) e serviços de conservação da faixa de domínio (controle da vegetação próxima ao pavimento, limpeza e recomposição de elementos de drenagem, e limpeza da sinalização e dispositivos de segurança viária)”, informaram.

Importância
Segundo apresentação do Governo do Paraná, a importância da concessão de rodovias se dá pela redução de 25% no número de mortos, de 20% no número de acidentes graves e de 13% no número de acidentes. O Programa PR Vias elaborado pelo Governo Federal visa mais obras de forma mais rápida e com tarifas menores (com descontos de 35 a 71% em relação ao praticado atualmente), em uma estrada mais segura e com garantia de milhares de empregos.

Apenas na região de São Luiz do Purunã, Campo Largo e Curitiba serão 71Km de faixa adicional. As obras na Rodovia do Café estão previstas para até o ano 6 do novo contrato. Em todo o Estado, 195 passarelas para pedestres, 260Km de vias marginais, 1.783Km de duplicação e 357 Km de faixa adicional e terceira faixa. Projeto contempla 40Km de faixa adicional de Curitiba a Paranaguá, 225Km de duplicação entre Guarapuava e Cascavel e 196Km de duplicação entre São Luiz do Purunã e Guarapuava.

As rodovias do programa foram selecionadas de acordo com a necessidade de investimentos em infraestrutura rodoviária e com critérios técnicos e de viabilidade. A ampliação da malha concedida do Estado visa a melhor integração do modal rodoviário e conectividade entre cidades, polos produtivos e de escoamento, bem como aprimorar a segurança viária, fluidez do tráfego e oferta de serviços de atendimento ao usuário. O Estado é líder em diversos setores, e precisa de uma infraestrutura à altura para que possa continuar crescendo e ampliando sua relevância na economia brasileira.

O contrato será de 30 anos. Vence o leilão quem apresentar o maior desconto na tarifa de pedágio, com expectativa de redução média, já na largada, de 30% em relação aos preços atuais. O Paraná será o único estado sem outorga e sem o limitador de desconto no leilão. O modelo foi personalizado para o Estado. Por exemplo, uma praça de pedágio que tenha uma tarifa de R$ 16,30 vai a leilão com uma redução média de 31%.

Antes mesmo do desconto concedido pela concessionária, a tarifa já será reduzida para R$ 11,30. Esse valor ainda diminui conforme a proposta de cada empresa. Se ela conceder 10% de desconto, a tarifa vai a R$ 10,20. Se o desconto for de 17%, a tarifa chega a R$ 9,40. Se for de 26%, R$ 8,50. Ou seja: o valor final esperado é de 37% a 48% menor que o atual. O desconto inicial vai variar de acordo com o trecho e o lote. A tarifa média atual das tarifas é de R$ 16,30. Esse valor deve ficar abaixo de R$ 10 depois do leilão.