VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Sexta-feira | 25 de Setembro de 2020 20:19
Sexta-feira | 25 de Setembro de 2020 20:19
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Campo-larguense que mora em Dubai participa de clipe de música internacional

Mariza Trindade é comissária de voo da Emirates e mora em Dubai há sete anos. Ela contou sobre a sua trajetória nesta empresa e sua participação no clipe Ya Habibi, que tem sido divulgado nos Estados Unidos, Europa e Oriente Médio

Por: Caroline Paulart

Nascida e criada em Campo Largo, Mariza Trindade mora há sete anos em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos e trabalha como comissária de voo na empresa Emirates, uma das maiores no mundo no ramo de aviação. Recentemente, ela teve a oportunidade de participar do clipe Ya Habibi, dos cantores Mohamed Ramadan e Gims, que foi gravado em Dubai e está sendo divulgado em todo o mundo, inclusive sendo transmitido na Times Square em Nova Iorque - um dos pontos turísticos mais visitados do mundo -, na Arábia Saudita e em todo o Oriente Médio e também em países da Europa.

Com a pandemia, o número de voos feitos por Mariza diminuíram de seis a sete por mês para dois e assim ela teve mais oportunidades em solo. “Trabalho com o meu Instagram e site que dão orientações para quem tem o sonho de trabalhar como comissário de voo. Com a pandemia, acabei tendo mais dias de folga e pude focar nestes trabalhos. Quando estive na Croácia, uma revista me parou e pediu para tirar fotos e divulgá-las em seu site e redes sociais. Eu aceitei e muitas pessoas falaram para eu procurar agência de modelo, pois tenho o perfil. Me inscrevi em duas agências em Dubai, mas sem ficar ansiosa pelos trabalhos.”

Passado alguns dias, chegou um e-mail comunicando que ela havia sido selecionada para participar de um clipe de uma música de um cantor, mas ainda sem mencionar quem era. “No dia da gravação que eles falaram para nós os nomes. Um dos cantores eu já conhecia o trabalho e gostava muito dele, que era o Gims. O Mohamed Ramadan eu já tinha ouvido algumas músicas, mas não tinha ideia do sucesso que ele fazia no Oriente Médio. Fiquei muito feliz em poder participar dessa produção que gerou um resultado lindo. Eu não podia contar que havia participado até a divulgação oficial, mas depois que o clipe saiu, vi meu nome nos créditos do clipe, foi muito emocionante, porque mostrou que coisas boas aparecem em meio ao caos. A vida realmente traz coisas que não esperamos”, diz.

Ela conta que irá trabalhar nas duas frentes, à medida que forem aparecendo trabalhos como modelo e ela tiver oportunidade de participar, assim fará, mas que também continuará com o seu trabalho principal, que é como comissária de voo na Emirates.

Realizando um sonho

Mariza conta que sempre sonhou em trabalhar na aviação e quando tinha apenas 15 anos começou a estudar Inglês com muita dedicação e disciplina, pois sabia que o idioma era essencial para essa área. “Eu ainda não tinha completado 18 anos quando fiz o curso de comissária de bordo, tirei toda a licença necessária e estudava muito. Eu me sentia preparada para o mercado de trabalho, porém, não imaginava que seria tão difícil conseguir entrar nele. Então, por um período desisti e fiz um curso técnico de Informática e comecei a faculdade de Engenharia da Computação, mas eu sentia que não era aquela área para mim, que trabalhar na aviação seria o que realmente me faria feliz”, relembra.

Em 2012 ela deixou o curso para participar da seleção da Emirates que havia aberto um processo seletivo no Brasil. “Nunca havia morado fora e lá estava concorrendo com pessoas que tinham um currículo maravilhoso e você precisa ter um inglês de nível avançado a fluente, pois todos os treinamentos são feitos no idioma e você o usará no seu dia-a-dia. Mas deu tudo certo no final. Recebi a notícia no dia de Natal de 2012, quando fiquei sabendo que além de ser comissária de voo no Oriente Médio, precisaria me mudar para Dubai, pois a base da companhia é lá, então todos precisam residir na cidade”, conta.

Desde então, ela já teve a oportunidade de conhecer 60 países, entre viagens de férias e trabalho. “A maior recompensa é viajar o mundo todo, conhecer lugares que jamais imaginaria ir. Já conheço a Ásia toda, Europa e outros países, essa é a maior recompensa que a profissão traz. Porém, a parte mais difícil é não poder estar presente em eventos familiares, como casamentos, aniversário e festas de fim de ano. Eu vou ao Brasil de três a quatro vezes no ano, mas nem sempre consigo conciliar datas. Quem trabalha na aviação também não tem rotina, às vezes trabalha à noite, finais de semana, final de ano e é preciso saber administrar isso. Trabalhar com pessoas diferentes, de várias culturas também é desafiador, mas nós aprendemos muito com isso”, ressalta.

Quando questionada sobre o que mais sente saudades do Brasil, Mariza foi enfática em dizer que é a família, a culinária e a cultura, que não encontra em lugar nenhum do mundo semelhante ao brasileiro.

Ajudando outras pessoas

“Eu pensava que conquistaria tudo de imediato, mas não foi bem assim. Com o tempo vi que tudo tinha o tempo certo para acontecer. Talvez não tenha trabalhado como comissária lá com 18 anos porque algo maior estava por vir, mas ao mesmo tempo não me identificava em outras áreas. Muitas pessoas têm medo de seguir essa carreira porque outras as desanimam, e eu decidi fazer o site e a página no Instagram para ajudar essas pessoas que têm o sonho, que querem mudar de área profissional e investir em algo que a deixará feliz”, explica.

“Já aconteceram alguns casos bem legais dentro do meu trabalho, mas lembro de uma vez que no desembarque uma moça disse que seguiu as minhas dicas e que hoje trabalha na Emirates. Encontrei outras pessoas no centro de treinamento e fiquei muito feliz, as ouvir dizer ‘você me motivou, me auxiliou e hoje eu que estou aqui’ é incrível”, revela.

Para quem quiser conhecer mais sobre o trabalho e a vida de Mariza, pode acessar o site crewanderlust.com ou seguir ela no Instagram @crewanderlust.

 

4134 visitas






Sua Opinião