VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Sexta-feira | 25 de Setembro de 2020 18:36
Sexta-feira | 25 de Setembro de 2020 18:36
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

A morte prematura de Camila, que não resistiu na luta contra o câncer

Um olhar meigo, um sorriso lindo e uma grande vontade de vencer o câncer. Toda a determinação de Camila Batistel Matuella (30) ficará na lembrança de cada pessoa que teve a oportunidade de conhecê-la, como também das pessoas que torciam por ela só por conhecerem sua história.

Por: Danielli Artigas de Oliveira

Um olhar meigo, um sorriso lindo e uma grande vontade de vencer o câncer. Toda a determinação de Camila Batistel Matuella (30) ficará na lembrança de cada pessoa que teve a oportunidade de conhecê-la, como também das pessoas que torciam por ela só por conhecerem sua história. Ela não resistiu durante o tratamento contra o câncer e faleceu nesta quarta-feira (09).

Sua morte foi de grande repercussão na cidade, tamanho era o carinho que as pessoas tinham por ela e por sua história de vida. A imagem dela compartilhada com a filha no colo sensibilizou ainda mais as pessoas, entendendo a dor dessa perda para a família e amigos. Camila era chefe de Enfermagem de UTI do Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, era filha de Divanir e Aguinaldo Batistel, e casada desde 2015 com Duccio, com quem teve uma filha, Lia (01).

A Folha conversou com uma familiar próxima dela, que contou que ela foi diagnosticada com câncer no esôfago e estômago no dia 13 de outubro do ano passado, já em estágio avançado. Conta que o médico até se surpreendeu porque geralmente esse tipo de câncer acontece em pessoas obesas e idosas, ainda mais de forma tão agressiva. Passou por cirurgia em janeiro deste ano e estava estável, com sessões de quimioterapia. Em julho se sentiu mal, fez alguns exames e um novo procedimento, quando viram que estava com metástase no intestino e que não tinha mais o que fazer. Voltou a fazer quimioterapias e já não estava reagindo bem, não conseguia mais comer. Ela estava internada em um hospital de Curitiba quando veio a óbito.
No Facebook da Folha, foram quase 42 mil pessoas alcançadas com a notícia da morte dela, que teve engajamento de cerca de 11 mil pessoas, após cerca de 17 horas da publicação. Muitos lamentaram a perda e até mesmo quem não a conhecia se solidarizou com a dor da família e com a triste luta contra o câncer.  Muitos que já passaram ou passam por situação parecida, sempre com esperança de uma vitória nesta luta. O sentimento de tristeza foi manifestado por muitos, em meio aos quase 400 comentários, como também em grupos de WhatsApp. Todos sem acreditar nesta morte tão prematura, de uma pessoa incrível, guerreira e doce – como disseram nos comentários.

Camila era vista como uma pessoa maravilhosa, proativa, bondosa, meiga, de muitos amigos, sempre com sorriso mesmo doente. Era de uma família muito católica e frequentavam as missas no Santuário do Senhor Bom Jesus. Por ser do ramo da Saúde, era bem consciente da gravidade da doença e durante sua luta contra o câncer teve muito apoio da família no tratamento. Muitos oraram por ela, o que os familiares afirmaram que tem ajudado para que fiquem mais fortes e em paz para superar essa dor.

 

5422 visitas






Sua Opinião