VERSÃO IMPRESSA
anteriores
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Quinta-feira | 22 de Outubro de 2020 11:29
Quinta-feira | 22 de Outubro de 2020 11:29
VERSÃO IMPRESSA
EM CAMPO LARGO 15º | 25º

Campo-larguenses no sonho do futebol profissional

Desde muito cedo ainda na escolinha, os garotos começam a praticar futebol, que inicialmente com o objetivo de extravasar e gastar energias, são orientados por professores de educação física

Por: Célio Vigilato

Desde muito cedo ainda na escolinha, os garotos começam a praticar futebol, que inicialmente com o objetivo de extravasar e gastar energias, são orientados por professores de educação física. Mas com o passar dos anos, os primeiros olheiros, seus pais, começam a perceber em seus filhos as habilidades e que os pequenos têm qualidade técnica. A partir daí, vem o so­nho de ser jogador de futebol, o que todos querem, mas poucos conseguem alcançar a categoria profissional.

Profissional

Entre os meninos do Futebol Campo-larguense, que estão ganhando espaço e dando voos mais altos no fu­tebol profissional, estão: Gabriel Bubniak (goleiro), Paulo Fales (zagueiro), Higor Vidal (meio-campo), Dione Ribas (atacante) e Gustavo Silva (atacante).

 Tiago

Quando fa­lamos de pro­fissionais, não podemos esque­cer de quem nos representou mui­to bem num pas­sado não muito distante, com uma marcante trajetória no eixo Rio/ São Paulo, onde todos os atletas sonham chegar. Tiago Antônio Cam­pagnaro, com passagens como goleiro artilheiro pela Por­tuguesa, Corinthians, Vasco e outros clubes de história no país, hoje aos 35 anos, busca conhecimento para ser Téc­nico de Futebol, iniciou como auxiliar técnico (Rede Bull/SP) e atualmente atua como auxiliar do Técnico Silas, no São Bento de Sorocaba.

Gabriel

Gabriel Bubniak, de 21 anos, começou em 2009, aos 12 anos, indo fazer um teste no Trieste, não passou nesse teste, mas acabou ingressando na famosa Fábrica de Go­leiros, do clube de Santa Felicidade, onde era uma escoli­nha voltada somente para goleiros. Depois de seis meses na escolinha treinando e participando de campeonato, co­meçou a se destacar e, em 2010, veio o convite e a opor­tunidade de ingressar nas categorias de base do Trieste. Sendo, inclusive, campeão Metropolitano, numa competi­ção que tinha os principais clubes da Capital. No final de 2010 recebeu uma proposta do Coritiba, começando então uma nova fase, sendo em 2011 campeão Metropolitano, em 2012 campeão Brasileiro da Copa Votorantin (goleiro menos vazado) e campeão Estadual. Em 2013 foi cam­peão Internacional de Gradisca (Itália) e campeão Estadu­al, sendo o menos vazado nas duas competições, o que lhe rendeu a tão sonhada convocação pra Seleção Brasi­leira Sub-17. Em 2014 voltou a ser campeão Gradisca (Itá­lia), em 2015 conquistou o Dallas Cup (EUA) e em 2016 vice-campeão Brasileiro Sub-20. Em 2017, já com con­trato profissional com o Coxa, Gabriel foi emprestado ao Paissandú do Belém do Pará, onde conquistou o Estadual Sub-20 e o inédito título da Copa Verde em 2018. Depois de disputar também a série B do Brasileiro pelo Papão da Curuzu, Gabriel retornou mais experiente para o Coritiba neste início de 2019, fazendo parte do plantel que disputa o Paranaense como terceiro goleiro.

Paulinho

Paulo Ricardo Fales, de 19 anos, depois de ser cam­peão Estadual em 2017 de Juniores e fazer parte do time do Paraná Clube na 1ª Divisão do Brasileirão de 2018, dis­putou em janeiro deste ano a Copa São Paulo de Juniores, agora disputa o Campeonato Paranaense pelo Rio Branco, de Paranaguá. Paulinho, que pertence ao Tricolor da Vila, para ganhar experiência foi emprestado ao time da Estra­dinha até o final do Estadual, devendo retornar ao Para­ná, com quem tem contrato profissional. Zagueiro canhoto, Paulinho teve sua trajetória iniciada também nas escoli­nhas da Capital da Louça, teve passagem na base do Atlé­tico, Curitiba, Joinville e Paraná Clube, onde foi promovido ao time principal no ano passado, assinando um contrato profissional.

Higor

O meio ofensivo, Higor Felipe Vidal, de 22 anos, filho de Peterson Vidal e Rosinha, desde muito cedo corre atrás do sonho de ser jogador com grande destaque. Começou sua trajetória não diferente dos outros meninos, nas esco­linhas e depois saiu pelo mundo na busca pela afirmação no futebol de base, chegando inclusive a ficar um período no Porto de Portugal. Retornando ao Brasil, ficou na base do Santos em 2011 e 2012, depois voltou ao Paraná Clu­be, onde ficou entre 2013 e 2014. Em 2015 se transferiu para o Londrina, até que surgiu a oportunidade, em 2016, de se transferir para o futebol Grego. Na Grécia, Vidal 33, como é chamado pelos companheiros de equipe e pela im­prensa local, vem tendo grande destaque no Pas Gianni­na, com quem tem contrato até 2020.

Dioninho

Dione Miguel Ribas, 25 anos, desde muito cedo na es­colinha da RB Esportes, depois passou por várias equipes do futebol amador da Capital da Louça, inclusive no Faná­tico. Por onde passou, sempre foi destaque pela sua ha­bilidade e grande qualidade na finalização. A chegada a um clube profissional só veio aos 22 anos, quando atuava pelo Novo Mundo na Suburbana, recebeu o convite para integrar o Sub-23 do Operário Ferroviário E.C., de Pon­ta Grossa. Logo na chegada ao clube, se tornou desta­que no Paranaense Sub-23 com o Operário sagrando-se campeão. O sucesso deste pequeno grande atleta orgulha seus familiares e amigos de Campo Largo, pois se tornou um grande campeão do futebol brasileiro, chegando com o Fantasma dos Campos Gerais ao título da série D em 2017 e Série C em 2018, um feito que faz do Dioninho um ídolo do torcedor Pontagrossense, inclusive fazendo gols em jogos decisivos. Neste ano de 2019, no seu primeiro ano de Campeonato Paranaense da 1ª Divisão, na estreia contra o Paraná Clube, saiu no banco para marcar o gol da vitória, em plena Vila Capanema.

Gustavinho

Gustavo Henric da Silva, de 21 anos, teve seu início como os outros atletas, nas escolinhas da cidade, mas sua projeção para a base do Coritiba foi bem mais rápida, onde desde pequeno começou no Futsal. Neto do Luiz Partica, morador nas proximidades da Delegacia e muito conhecido em Campo Largo, o garoto escreveu uma bela história na base do Coxa, quando ainda era conhecido como “Mosquito” por ser rápido e habilidoso. Durante mais de 11 anos no time alviverde, conquistou a Copa Brasil Sub-15, Gradisca Sub-17 (Itália) e a Dallas Cup Sub-20 (EUA). Além de em 2016 ter sido o vice artilheiro do Bra­sileiro Sub-20 (seis gols) e artilheiro do Campeonato Brasi­leiro Sub-20 de 2017, com nove gols, quan­do foi vice-campeão. Seu contrato com o Coxa terminou em se­tembro de 2018, mas para a felicidade de seus pais Gerson e Solange e toda famí­lia, se transferiu para o Corinthians.

13771 visitas






Sua Opinião